icons.title signature.placeholder Paulo Victor Reis
23/04/2014
07:04

Não será apenas com a experiência e a qualidade de Emerson Sheik que Vagner Mancini poderá ajustar o padrão de jogo do Botafogo. Especialmente no que diz respeito ao setor ofensivo, já que o time não consegue fazer um gol sequer há três partidas. Pela boa impressão que deixou no segundo tempo do duelo do último domingo, contra o São Paulo, Zeballos pode ser uma grande opção para o comandante alvinegro.

Na atividade de terça-feira, a primeira da semana, os reservas e os jogadores que não atuaram os 90 minutos no fim de semana foram derrotados pelo Olaria, por 1 a 0, em um jogo-treino, no Engenhão. Apesar de outro tropeço, o paraguaio – que foi contratado para a disputa da Copa Libertadores, mas não pôde jogar – conseguiu realizar boas jogadas.

O desempenho do meia-atacante contrasta com o dos atuais titulares e dá a entender que uma vaga entre os 11 será questão de tempo. Assim como ele mesmo espera.

– Existe uma expectativa grande por isso, mas me sinto muito tranquilo e confiante. Todos estamos conscientes de que o primeiro tempo não foi bom, mas houve melhora no segundo. Trato de manter a calma e ajudar os companheiros – disse Zeballos, ontem, após o tropeço diante da equipe da Bariri.

Com relação ao posicionamento, o paraguaio, que pode ser utilizado no meio-campo ou no ataque, afirmou que, quanto mais perto da área adversária estiver, melhor:

– Gosto de jogar no ataque, tentar chegar sempre à área rival e finalizar as situações de gol – afirmou o gringo, que marcou dois gols com a camisa do Botafogo, ambos no Estadual, em cobranças de pênalti.

No domingo, Mancini terá outro desafio complicado, ao enfrentar o Internacional, no Maracanã. Uma boa oportunidade para mudar a cara do time e, quem sabe, o sotaque.