icons.title signature.placeholder Caio Carrieri
22/06/2014
20:56

A seleção da Costa do Marfim chegou a Fortaleza (CE) perto das 20h30 deste domingo, com discrição e pequenos gestos de simpatia. A dois dias de duelar com a Grécia, na terça-feira, no Castelão, os africanos desembarcaram na capital cearense sem muito alarde e assédio. Houve mais curiosos do que torcedores marfinenses (dois na verdade) na chegada da delegação ao Hotel Luzeiros, localizado na Avenida Beira-Mar, uma das mais turísticas e movimentadas da cidade.

Didier Drogba foi o jogador que teve o nome mais gritado pelo número razoável de presentes no local. Um dos últimos a descer do ônibus, vestindo um boné preto, o atacante reagiu com gentileza: abriu um sorriso e acenou para o número razoável de espectadores. 

Os gregos, adverários da Costa do Marfim, têm previsão de chegada para o início da tarde desta segunda, poucos horas antes do reconhecimento do gramado do Castelão e da entrevista coletiva obrigatória da Fifa na véspera dos jogos - as duas equipes cumprirão o protocolo.

No Grupo C, os marfinenses estão na segunda posição, com três pontos, abaixo da Colômbia, que tem seis. A Grécia é lanterna, com apenas um ponto somado em duas partidas e saldo de gols pior do que o Japão, que tem a mesma pontuação.