icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
14/11/2014
16:30

Cada vez mais em destaque no UFC, Thales Leites terá um grande desafio na sua caminhada pra novamente disputar o cinturão dos médios da organização. No UFC 183, dia 31 de janeiro de 2015, em Las Vegas, o atleta da Nova União enfrenta o americano Tim Boetsch. Thales, que atualmente ocupa a 11ª posição do ranking na divisão - duas à frente de Tim Boetsch -, busca sua oitava vitória consecutiva no MMA, a quinta no octógono, e acredita que novo triunfo sobre um rival do Top 15 vai colocá-lo em uma ótima posição na sonhada disputa de título.

- Vai ser troca de chumbo. É um cara muito bom no wrestling, mas vou entrar no octógono para dar porrada nele. Sei que vai ser uma luta complicada, mas para quem sonha alto, como eu sonho, não pode escolher adversário. Quero sempre os melhores. E vou para cima do Boetsch - afirmou.

A vitória sobre Carmont, fez Thales subir quatro posições no ranking do UFC dos pesos-médios, Assim como o brasileiro, Tim Boetsch também vem de vitória e ascensão no ranking da divisão. O americano subiu da 14ª para a 13ª posição ao vencer Brad Tavares, em agosto, também por nocaute. Porém, apesar dos recentes êxitos, os adversários vivem sequências distintas. Enquanto o atleta da Nova União triunfou nos últimos sete embates, Boetsch vem com um cartel irregular: são três derrotas nas últimas cinco lutas, apesar de todas terem sido para adversários entre os Top 15.

Thales Leites venceu com facilidade Francis Carmont (FOTO: UFC)

- A experiência do Tim Boetsch é enorme no UFC. Trata-se de um dos atletas mais respeitados da categoria. Temos a mesma idade (33 anos), mas ele está direto na organização, enquanto passei por um período que chamo de reciclagem. Acredito que, desde meu retorno ao UFC, deve ser um dos combates mais complicados que já fiz. Mas estou preparado. Quem quer chegar ao topo tem que pegar os melhores. E isso me anima. A confiança de todos em mim está me dando mais forças para pensar alto. Vou até o limite - garantiu o atleta, que ostenta um cartel de 24 vitórias e quatro derrotas.