icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
27/12/2013
18:43

Enquanto a atual diretoria da Portuguesa, que tem mandato apenas até o dia 31 de dezembro de 2013, e a nova diretoria, que toma posse no dia seguinte, se reúnem para definir as ações do clube após o julgamento do STJD que rebaixou o clube no Brasileirão, torcedores têm se mobilizado de forma independente contra a sentença. Um site e uma petição pública online já estão disponíveis para a manifestação dos torcedores.

O site é chamado "Todos Vamos à Luta", em referência ao hino oficial da Portuguesa, e convoca os torcedores da Lusa e os "amantes do futebol" a se unirem contra a decisão unânime do Pleno do STJD. A organização, que até o final da tarde desta sexta-feira contava com 1.319 adesões, admite que acionará a Justiça comum contra a decisão da Justiça Desportiva, em uma tentativa de incluir a Portuguesa de volta na Série A do Brasileirão.

"Somos um grupo de torcedores comuns, de arquibancada, indignados com a atrocidade cometida contra a Portuguesa e com o futebol. O objetivo principal é manter a Portuguesa no lugar que conquistou por mérito, dentro das quatro linhas. A luta só vai acabar quando a Portuguesa obtiver o veredito da permanência na série A, custe o que custar. O torcedor foi efetivamente lesado, tem amparo no Estatuto do Torcedor e é consumidor do produto "futebol". Como tal, não pode ser vítima da fraude perpetrada", afirma o artigo da página principal do movimento.

Logo após o julgamento que definiu a queda da Lusa e salvou o Fluminense do rebaixamento, o site "Todos Vamos à Luta" voltou a ser agitado pelos torcedores por meio das redes sociais, propondo um movimento "independente, democrático e pacífico", mas que cogita até um recurso no tribunal da Fifa. A página ainda informa quais procedimentos o torcedor comum deve adotar para propor uma ação e pede apoio de entusiastas de outros clubes do futebol brasileiro.

Um outro torcedor, que se identificou apenas como "Paulo W", criou uma petição online no site Avaaz e divulgou a iniciativa no Facebook da Portuguesa. Até o fim da tarde, 153 pessoas assinaram a petição que pede "a anulação do julgamento do STJD" e também se apoia no Estatuto do Torcedor. O Ministério Público de São Paulo tem consultado a legislação para unir evidências e propor uma ação civil pública contra a decisão do STJD. O recesso do Judiciário de fim de ano, entretanto, deve atrasar a denúncia.