icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
05/07/2013
09:18

O dia 5 de julho poderia ser de festa para o técnico Ney Franco. Nesta sexta-feira, o treinador completa um ano à frente do São Paulo. Contudo, após acumular fracassos e críticas nessa temporada, o comandante tem a sua situação indefinda.

Na quinta, houve uma reunião para tratar do tema, entre o presidente Juvenal Juvêncio e o diretor de futebol Adalberto Baptista. O diretor e o vice de futebol, João Paulo de Jesus Lopes, foram ao CT da Barra Funda no fim da noite, mas saíram rapidamente. Deixaram o local sem falar com a imprensa.

Contratado em 2012 após a demissão de Emerson Leão, o treinador assumiu o time durante o Campeonato Brasileiro. No torneio nacional, obteve a melhor campanha do segundo turno. Além disso, na disputa da Copa Sul-Americana, faturou o título inédito ao clube do Morumbi, levando o Tricolor de volta à Libertadores, após duas edições fora. O bom rendimento apresentado em campo, com o sistema 4-2-3-1 rendeu elogios a ele.

Contudo, nesta temporada, o treinador tem colecionado insucessos. Sem Lucas, Ney teve dificuldades para armar a equipe em campo. No Campeonato Paulista e na Copa Libertadores, a equipe foi eliminada. A má campanha no torneio continental, com classificação somente na última rodada e, em seguida, goleada para o Galo nas oitavas de final, rendeu críticas ao treinador. O fato de já ter tido atritos com ícones da equipe, como Rogério Ceni, Lúcio e Paulo Henrique Ganso, aliado às reclamações dos jogadores com o modo distante nos treinamentos, são agravantes ao técnico.

Em 79 jogos, Ney Franco tem 58,6% de aproveitamento (veja o aproveitamento dos últimos técnicos após Era Muricy abaixo). São 41 vitórias, 22 derrotas e 16 empates. Nesta sexta-feira, o São Paulo volta aos treinamentos no período da tarde, no CT da Barra Funda, visando ao clássico contra o Santos.

Confira o desempenho dos técnicos da era pós-Muricy até Ney Franco:

- Ricardo Gomes: junho/2009 até agosto/2010
73 jogos: 38 vitórias / 15 empates / 20 derrotas - 59% de aproveitamento

- Sérgio Baresi: agosto/2010 até outubro/2010
14 jogos: 5 vitórias / 4 empates / 5 derrotas - 45,% de aproveitamento

- Paulo César Carpegiani: outubro/2010 até julho/2011
47 jogos: 30 vitórias / 4 empates / 13 derrotas - 66,6% de aproveitamento

- Adilson Batista: julho/2011 até outubro/2011
21 jogos: 8 vitórias / 7 empates / 6 derrotas - 49% de aproveitamento

- Leão: outubro/2011 até junho/2012
44 jogos: 26 vitórias / 6 empates / 12 derrotas - 63,5% de aproveitamento

O dia 5 de julho poderia ser de festa para o técnico Ney Franco. Nesta sexta-feira, o treinador completa um ano à frente do São Paulo. Contudo, após acumular fracassos e críticas nessa temporada, o comandante tem a sua situação indefinda.

Na quinta, houve uma reunião para tratar do tema, entre o presidente Juvenal Juvêncio e o diretor de futebol Adalberto Baptista. O diretor e o vice de futebol, João Paulo de Jesus Lopes, foram ao CT da Barra Funda no fim da noite, mas saíram rapidamente. Deixaram o local sem falar com a imprensa.

Contratado em 2012 após a demissão de Emerson Leão, o treinador assumiu o time durante o Campeonato Brasileiro. No torneio nacional, obteve a melhor campanha do segundo turno. Além disso, na disputa da Copa Sul-Americana, faturou o título inédito ao clube do Morumbi, levando o Tricolor de volta à Libertadores, após duas edições fora. O bom rendimento apresentado em campo, com o sistema 4-2-3-1 rendeu elogios a ele.

Contudo, nesta temporada, o treinador tem colecionado insucessos. Sem Lucas, Ney teve dificuldades para armar a equipe em campo. No Campeonato Paulista e na Copa Libertadores, a equipe foi eliminada. A má campanha no torneio continental, com classificação somente na última rodada e, em seguida, goleada para o Galo nas oitavas de final, rendeu críticas ao treinador. O fato de já ter tido atritos com ícones da equipe, como Rogério Ceni, Lúcio e Paulo Henrique Ganso, aliado às reclamações dos jogadores com o modo distante nos treinamentos, são agravantes ao técnico.

Em 79 jogos, Ney Franco tem 58,6% de aproveitamento (veja o aproveitamento dos últimos técnicos após Era Muricy abaixo). São 41 vitórias, 22 derrotas e 16 empates. Nesta sexta-feira, o São Paulo volta aos treinamentos no período da tarde, no CT da Barra Funda, visando ao clássico contra o Santos.

Confira o desempenho dos técnicos da era pós-Muricy até Ney Franco:

- Ricardo Gomes: junho/2009 até agosto/2010
73 jogos: 38 vitórias / 15 empates / 20 derrotas - 59% de aproveitamento

- Sérgio Baresi: agosto/2010 até outubro/2010
14 jogos: 5 vitórias / 4 empates / 5 derrotas - 45,% de aproveitamento

- Paulo César Carpegiani: outubro/2010 até julho/2011
47 jogos: 30 vitórias / 4 empates / 13 derrotas - 66,6% de aproveitamento

- Adilson Batista: julho/2011 até outubro/2011
21 jogos: 8 vitórias / 7 empates / 6 derrotas - 49% de aproveitamento

- Leão: outubro/2011 até junho/2012
44 jogos: 26 vitórias / 6 empates / 12 derrotas - 63,5% de aproveitamento