icons.title signature.placeholder Bruno Cassucci e Guilherme Amaro
05/11/2013
08:08

As chances de o Santos conseguir uma vaga na Libertadores do ano que vem são mínimas, mas o time ainda não jogou a toalha. Para os que ainda têm esperança, um alento: o técnico Claudinei Oliveira finalmente poderá escalar a equipe que considera ideal.

O Peixe segue com desfalques por lesão e suspensão, mas terá os 11 titulares “prediletos” do treinador. Isso porque Thiago Ribeiro diz já não sentir dores na coxa esquerda e acredita que poderá enfrentar o Vasco, domingo, no Maracanã. Ele não atua há duas semanas. Além dele, outro que volta a ficar à disposição é Gabriel, que estava com a Seleção no Mundial Sub-17.

Claudinei nunca pôde escalar essa formação. Agora, além de contar com os melhores, terá de novo uma semana livre para treinar.

Gabriel, que disputa vaga com Willian José, espera ter a escalação confirmada pelo técnico e acredita que pode usar o fim da temporada para se firmar de vez como titular.

– Desde que subi, não consegui ter uma sequência. Passei mal contra o Fluminense, depois fui para a Seleção... É claro que fiquei feliz de ser convocado, mas isso me atrapalhou um pouquinho no clube. Agora espero ir bem e me ter uma sequência – disse o jovem de 17 anos, em entrevista ao LANCE!Net.

– Estava com saudade do Santos, espero ajudar nessa volta – completou o garoto, que tem 13 jogos no profissional e dois gols.

A expectativa era de que Thiago não encarasse o Vasco, mas ele diz já estar bem. O atacante deverá ocupar a vaga de Everton Costa, criticado pela torcida e suspenso pelo terceiro cartão amarelo.

– Acho que tenho boas chances de jogar. Farei exames esta semana, talvez até quarta, mas me sinto bem melhor – falou, em evento de um patrocinador na tarde da última segunda-feira.

Segundo matemáticos, a chance do Santos disputar a Libertadores em 2014 é de 1%. Para Claudinei Oliveira, é preciso vencer cinco de seis jogos que restam (três em casa). Se não pela vaga, pelo menos para uma despedida honrosa o Alvinegro deve ter força máxima.


Bate-Bola com Thiago Ribeiro, atacante do Santos, ao LANCE!Net

O time sentiu muito sua falta nos últimos dois jogos, né?
Cada jogador tem sua importância, e quando um não joga acaba fazendo falta. O treinador quer contar com todo mundo, e perder jogador nunca é bom, mas eu  só podia torcer de fora, o importante agora é eu me recuperar bem.

É pior ou melhor jogar contra um time que luta para não cair?
Na minha opinião vai ser um jogo muito difícil, o Vasco está empolgado pela vitória, a torcida vai comparecer e tem o fato de que pode sair da zona de rebaixamento. Por isso, acho que nesse momento vai ser até mais difícil do que contra o Cruzeiro, porque querendo ou não o Cruzeiro jogou com uma bela folga na tabela. Contra o Vasco vai ser pedreira, eles vão jogar a vida, o time nessa situação jogando em casa vão querer o resultado. Temos que ser inteligente e usar esse desespero deles de querer ganhar o jogo para neutralizar e achar os espaços.

Ainda acredita em uma vaga para a próxima Libertadores?
Futebol tudo é possível, se a gente vence os seis jogos, claro que não é fácil, mas não jogo a toalha. O que não pode acontecer é a gente não somar os pontos e lá na frente se arrepender porque poderia ter conquistado a vaga.