icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
14/03/2014
16:05

O torcedor que se programou para acompanhar in loco o duelo entre Penapolense e Corinthians no próximo domingo, às 16h, no Estádio Municipal Tenente Carriço, em Penápolis, pela penúltima rodada da primeira fase do Paulistão, poderá chegar mais cedo ao estádio para acompanhar uma decisão diferente.

Nas horas que antecedem o jogo profissional, às 13h, as equipes dos centros de CASAs Franca e Ferraz de Vasconcelos I disputarão a final da Copa CASA de Futebol. O torneio, organizado pela Gerência de Educação Física e Esporte (GEFESP) da CASA, fruto de parceria da Fundação CASA e a FPF, reuniu cerca de 1.200 jovens internados de mais de 84 unidades da fundação.

O ex-jogador Zé Maria, o Super Zé, ídolo do Corinthians na década de 70 e início de 80, é um dos organizadores do torneio e estará no local para prestigiar o confronto.

- Todos os jovens que chegaram até aqui, assim como aqueles que participaram, já são vencedores na vida. Jogar num estádio, antes de partidas oficiais, é uma grande vitória para eles - disse Zé Maria, que atualmente é assistente de direção da Gerência de Educação Física e Esportes (GEFESP), da Fundação.

O CASAs Franca e o Ferraz de Vasconcelos I venceram suas semifinais no fim de semana passado contra, respectivamente, os times dos centros de São José do Rio Preto e Novo Tempo (de Franco da Rocha), que disputarão o terceiro lugar neste sábado.

A FUNDAÇÃO CASA

A Fundação Centro de Atendimento Socioeducativo ao Adolescente (CASA), instituição vinculada à Secretaria de Estado da Justiça e da Defesa da Cidadania, tem a missão primordial de aplicar medidas socioeducativas de acordo com as diretrizes e normas previstas no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) e no Sistema Nacional de Atendimento Socioeducativo (SINASE).

A Fundação CASA presta assistência a jovens de 12 a 21 anos incompletos em todo o Estado de São Paulo. Eles estão inseridos nas medidas socioeducativas de privação de liberdade (internação) e semiliberdade. As medidas - determinadas pelo Poder Judiciário - são aplicadas de acordo com o ato infracional e a idade dos adolescentes.