icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
23/07/2014
15:32

O elenco do Santos sofreu com lesões e teve mais de um time fora de combate nas últimas partidas antes da pausa do Brasileirão para a Copa do Mundo. Por isso, o departamento médico do clube não teve folga durante o período, mas hoje trata só de três jogadores. Enquanto Leandro Damião se recupera de uma entorse no tornozelo esquerdo, Neto trata uma lombalgia e o jovem Daniel Guedes sofre com dores nas costas, os outros jogadores participam de trabalhos de prevenção de lesões no Cepraf, o Centro de Excelência em Prevenção e Recuperação de Atletas de Futebol.

Os profissionais dos departamentos físico e médico do Peixe foram exaltados em um vídeo publicado pela Santos TV nesta terça-feira. Entre imagens de trabalhos na academia, o médico Rodrigo Zogaib, o preparador físico Ricardo Rosa e o fisioterapeuta Alex Evangelista deram depoimentos comentando o trabalho realizado com o elenco profissional do Peixe. Além dos três, ainda compõem o DM os médicos Maurício Zenaide e Ricardo Nobre, os preparadores físicos Fernando Fernandez e Marco Alejandro, o fisiologista Luis Fernando de Barros e os fisioterapeutas Avelino Buongermino e Thiago Lobo.

- A gente ressalta a importância da fisioterapia quando existem muitas lesões, mas na vedade esse trabalho é silente, que também funciona quando não existem muitas lesões. Aqui no Santos houve um número muito grande de lesões, mas isso não é exclusividade do Santos, porque são lesões novas, que advêm de futebol rápido, de força. Isso é normal, o que não é normal e vir e ficar muito tempo, então tivemos boas surresas. O Cepraf é hoje o 12º jogador do professor Oswaldo, junto com a torcida - comentou o fisioterapeuta Alex Evangelista, "reforço" do departamento médico do Santos em 2013, já que faz parte da comissão técnica de Oswaldo de Oliveira.

De acordo com Rodrigo Zogaib, o elenco sofreu com dez lesões "diretas" (traumáticas, de contato com outro jogador) em 2014, isso além de duas "indiretas" (musculares).