icons.title signature.placeholder Luiz Gustavo Moreira e Mariah d'Avila
28/11/2013
16:53

Ídolo do Botafogo e de todos que apreciam o futebol, Nilton Santos recebeu um último adeus com boa dose de emoção no Cemitério São João Batista, em Botafogo, onde foi sepultado. Cerca de 150 pessoas estiveram no local para a despedida do ex-lateral-esquerdo, considerado o melhor de todos os tempos na posição.

Velado na sede de General Severiano entre as 20h de quarta e aproximadamente as 15h de quinta, o corpo do lateral chegou ao cemitério em um carro dos Bombeiros

Os torcedores do Glorioso presentes ao local estenderam uma faixa no local e gritaram: "Valeu, Nilton", como forma de homenagem. O ex-presidente Carlos Augusto Montenegro fez um discurso sobre a importância do eterno camisa 6 para o clube de General Severiano e foi aplaudido.

O ex-jogador Afonsinho também se despediu de Nilton, a quem chamou de referência e agradeceu pelo apoio recebido durante a carreira. Sobrinho de Nilton Santos, Maurício Queiroz também falou e pediu mais apoio da torcida nos estádios.

O vice-presidente Social e de Comunicação, Carlos Thiago Cesario Alvim, falou sobre a importância da Enciclopédia para a história do Alvinegro. 

- O Botafogo tinha uma relação muito próxima e íntima com o Nilton Santos. O clube esteve presente na vida do Nilton e ele esteve na vida do Botafogo. Levamos todas as taças na clínica, para ele ver e abençoar. (Antes de ficar doente) Ele ia no vestiário e na concentração. Os jogadores adoravam. Todos conhecem a história dele. Nilton está eternizado. Ele estará com o Botafogo para sempre - declarou Alvim.

O ex-jogador morreu na última quarta, aos 88 anos. Ele sofria do Mal de Alzheimer há cinco anos e foi internado no último sábado, devido a uma insuficiência respiratória. A causa da morte foi uma pneumonia comunitária somada a uma insuficiência cardíaca grave.