icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
13/07/2013
12:15

Com o Maracanãzinho pintado de amarelo pela torcida, o Brasil, mesmo já classificado para a fase final da Liga Mundial, não relaxou e venceu os Estados Unidos por 3 sets a 1, com parciais de 25-22, 25-18, 20-25 e 28-26. Com o resultado, os americanos estão eliminados e não jogarão a próxima fase em Mar del Plata (ARG), que começará na próxima quarta-feira.

O técnico Bernardinho, como já era esperado, não relacionou o levantador Bruninho, o ponta Dante e o oposto Leandro Vissotto para o duelo - William, Thiago Alves e Wallace começaram jogando. O oposto Wallace, com 16 pontos foi um dos destaques do dia, ao lado do ponta Lucarelli, melhor pontuador, com 17, e do central Lucão, que marcou 16 pontos, sendo quatro de saque. O americano mais perigoso foi o ponta Anderson, que dividiu a melhor pontuação com Lucarelli.

O Brasil volta a enfrentar os Estados Unidos neste domingo, às 9h45, novamente no Maracanãzinho. Em seguida, a Seleção segue para a Argentina, onde vai disputar a fase final da Liga Mundial em busca do décimo título.

O JOGO

O Brasil começou com um ataque falho. Com o veterano David Lee no saque, os Estados Unidos logo abriram 4 a 0. O primeiro ponto brasileiro veio com uma cortada do central Éder, para a alegria da torcida. No entanto, os americanos foram para o primeiro tempo técnico com 8 a 3 no placar e Bernardinho com a missão de ajustar o ataque brasileiro, que já havia parado na rede e no bloqueio rival.

O Brasil voltou ainda um pouco disperso, os americanos seguiam à frente, mas Lucarelli já começava a ser o principal do Brasil em quadra. A torcida explodiu no Maracanãzinho quando Wallace enfiou duas cortadas certeiras e ainda bloqueou o ataque americano para diminuir para 13 a 11. Mesmo assim, os rivais seguiam no comando e abriram 16 a 13 antes do tempo. Desta vez o Brasil voltou melhor e conseguiu virar para 22 a 21 com sequência de quatro saques de Lucarelli.

Com a defesa melhor posicionada, bastou administrar os momento finais do set para conseguir a vitória por 25 a 22.

O Brasil voltou ainda mais afiado para o segundo set, sem deixar os americanos se distanciaresm, como foi no primeiro. Prova disso é que o tempo técnico chegou com 8 a 6 a favor. No retorno, veio o primeiro ace e não poderia ser de outro senão Lucão, que aplicou incríveis quatro aces seguidos para agitar a torcida. Com isso, os americanos ficaram desestabilizados e o Brasil abriu 13 a 6.

Os Estados Unidos passaram a errar bastante a partir de então e o Brasil disparou com 18 a 9 no placar. Diante disso, os americanos pouco ameaçaram a soberania dos anfitriões no segundo set. A definição veio com um belo ataque do ponta Maurício, que não deu para a adefesa americana responder: 25 a 18.

Os americanos largaram melhor no terceiro set e abriram 5 a 1 antes de Bernardinho pedir tempo. O técnico voltou a se irritar com algumas jogadas brasileiras e quando os EUA abriu 7 a 3, ele esbravejou na lateral. Antes do tempo técnico, Brasil atrás por 8 a 4. Os americanos iam mantendo a superioridade, mas a impressão era de que com um pouco de esforço o Brasil poderia reagir. Bernardinho então mudou. Trocou Wallace por Renan e William por Rafael.

Mesmo assim, o Brasil foi para o segundo tempo técnico do set atrás no marcador: 16 a 14. Bernardinho não poupou o time de uma bronca, mas a equipe seguiu mal no retorno. Nem Lucão no saque resolveu: os americanos receberam bem e abriram 21 a 17. William e Wallace foram recolocados em quadra, mas a parcial foi mesma dos americanos: 25 a 20.

A equipe brasileira voltou melhor na quarta parcial e logo foi superior aos americanos em um belo ralie, que foi definido com um ataque de Wallace. O duelo ficou parelho, com o Brasil à frente no primeiro tempo técnico: 8 a 7. Mesmo já eliminados da liga, uma vez que precisava vencer por 3 a 1 ou 3 a 0 para seguir vivos, os americanos ainda tentavam dificultar para os brasileiros e retomaram a vantagem com o oposto Murphy Troy sacando bem: 12 a 10 e pedido de tempo brazuca.

O tempo fez bem ao Brasil, que retornou mais atuante e conseguiu retomar a frente por 16 a 15 após Éder forçar o saque e dificultar a recepção dos americanos. O jogo ficou bastante disputado e Bernardinho voltou a testar o oposto Renan e o levantador Rafael em quadra.

Foi então que o Brasil conseguiu se distanciar um pouco e abriu 21 a 18 sobre os americanos, que logo pediram tempo. Contudo, os americanos estavam dispostos a aprontar e viraram para 22 a 21. Lucão logo acertou uma cortada para empatar e foi para o saque. Lucarelli bloqueou bem e o Brasil retomou a ponta.

Os Estados Unidos chegaram a fazer 25 a 24 após um ace, mas em seguida erraram o saque. O jogo ficou lá e cá até que Wallace e Lucão definiram para o Brasil: 28 a 26 e vitória do Brasil.

Com o Maracanãzinho pintado de amarelo pela torcida, o Brasil, mesmo já classificado para a fase final da Liga Mundial, não relaxou e venceu os Estados Unidos por 3 sets a 1, com parciais de 25-22, 25-18, 20-25 e 28-26. Com o resultado, os americanos estão eliminados e não jogarão a próxima fase em Mar del Plata (ARG), que começará na próxima quarta-feira.

O técnico Bernardinho, como já era esperado, não relacionou o levantador Bruninho, o ponta Dante e o oposto Leandro Vissotto para o duelo - William, Thiago Alves e Wallace começaram jogando. O oposto Wallace, com 16 pontos foi um dos destaques do dia, ao lado do ponta Lucarelli, melhor pontuador, com 17, e do central Lucão, que marcou 16 pontos, sendo quatro de saque. O americano mais perigoso foi o ponta Anderson, que dividiu a melhor pontuação com Lucarelli.

O Brasil volta a enfrentar os Estados Unidos neste domingo, às 9h45, novamente no Maracanãzinho. Em seguida, a Seleção segue para a Argentina, onde vai disputar a fase final da Liga Mundial em busca do décimo título.

O JOGO

O Brasil começou com um ataque falho. Com o veterano David Lee no saque, os Estados Unidos logo abriram 4 a 0. O primeiro ponto brasileiro veio com uma cortada do central Éder, para a alegria da torcida. No entanto, os americanos foram para o primeiro tempo técnico com 8 a 3 no placar e Bernardinho com a missão de ajustar o ataque brasileiro, que já havia parado na rede e no bloqueio rival.

O Brasil voltou ainda um pouco disperso, os americanos seguiam à frente, mas Lucarelli já começava a ser o principal do Brasil em quadra. A torcida explodiu no Maracanãzinho quando Wallace enfiou duas cortadas certeiras e ainda bloqueou o ataque americano para diminuir para 13 a 11. Mesmo assim, os rivais seguiam no comando e abriram 16 a 13 antes do tempo. Desta vez o Brasil voltou melhor e conseguiu virar para 22 a 21 com sequência de quatro saques de Lucarelli.

Com a defesa melhor posicionada, bastou administrar os momento finais do set para conseguir a vitória por 25 a 22.

O Brasil voltou ainda mais afiado para o segundo set, sem deixar os americanos se distanciaresm, como foi no primeiro. Prova disso é que o tempo técnico chegou com 8 a 6 a favor. No retorno, veio o primeiro ace e não poderia ser de outro senão Lucão, que aplicou incríveis quatro aces seguidos para agitar a torcida. Com isso, os americanos ficaram desestabilizados e o Brasil abriu 13 a 6.

Os Estados Unidos passaram a errar bastante a partir de então e o Brasil disparou com 18 a 9 no placar. Diante disso, os americanos pouco ameaçaram a soberania dos anfitriões no segundo set. A definição veio com um belo ataque do ponta Maurício, que não deu para a adefesa americana responder: 25 a 18.

Os americanos largaram melhor no terceiro set e abriram 5 a 1 antes de Bernardinho pedir tempo. O técnico voltou a se irritar com algumas jogadas brasileiras e quando os EUA abriu 7 a 3, ele esbravejou na lateral. Antes do tempo técnico, Brasil atrás por 8 a 4. Os americanos iam mantendo a superioridade, mas a impressão era de que com um pouco de esforço o Brasil poderia reagir. Bernardinho então mudou. Trocou Wallace por Renan e William por Rafael.

Mesmo assim, o Brasil foi para o segundo tempo técnico do set atrás no marcador: 16 a 14. Bernardinho não poupou o time de uma bronca, mas a equipe seguiu mal no retorno. Nem Lucão no saque resolveu: os americanos receberam bem e abriram 21 a 17. William e Wallace foram recolocados em quadra, mas a parcial foi mesma dos americanos: 25 a 20.

A equipe brasileira voltou melhor na quarta parcial e logo foi superior aos americanos em um belo ralie, que foi definido com um ataque de Wallace. O duelo ficou parelho, com o Brasil à frente no primeiro tempo técnico: 8 a 7. Mesmo já eliminados da liga, uma vez que precisava vencer por 3 a 1 ou 3 a 0 para seguir vivos, os americanos ainda tentavam dificultar para os brasileiros e retomaram a vantagem com o oposto Murphy Troy sacando bem: 12 a 10 e pedido de tempo brazuca.

O tempo fez bem ao Brasil, que retornou mais atuante e conseguiu retomar a frente por 16 a 15 após Éder forçar o saque e dificultar a recepção dos americanos. O jogo ficou bastante disputado e Bernardinho voltou a testar o oposto Renan e o levantador Rafael em quadra.

Foi então que o Brasil conseguiu se distanciar um pouco e abriu 21 a 18 sobre os americanos, que logo pediram tempo. Contudo, os americanos estavam dispostos a aprontar e viraram para 22 a 21. Lucão logo acertou uma cortada para empatar e foi para o saque. Lucarelli bloqueou bem e o Brasil retomou a ponta.

Os Estados Unidos chegaram a fazer 25 a 24 após um ace, mas em seguida erraram o saque. O jogo ficou lá e cá até que Wallace e Lucão definiram para o Brasil: 28 a 26 e vitória do Brasil.