icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
07/03/2014
07:00

O Atlético-MG pode se gabar de ter um dos melhores elencos do Brasil. Mas um problema ainda dá dor de cabeça. Muito por conta de lesões de Pedro Botelho e Lucas Cândido, a lateral esquerda da equipe é o setor mais preocupante para o treinador Paulo Autuori.

Botelho, que é, atualmente, o único especialista da posição, teve ruptura muscular da coxa esquerda de grau três (o pior) e deve ficar no estaleiro até a Copa do Mundo. O jogador foi contratado para o lugar de Junior Cesar no começo do ano, mas já veio lesionado na mesma coxa, só que em um músculo diferente do atual machucado.

– Pedro Botelho sofreu ruptura muscular no local muito próximo à primeira lesão. Eu diria que é uma lesão tão importante como a do R10 – disse o médico Marcus Vinícius.

Autuori é obrigado a improvisar Jesus Dátolo de lateral, sendo que o argentino sofreu de fadiga muscular no último jogo. Com essa inconstância, quem pode herdar lugar é o jovem lateral Alex, que veio da base mas, na verdade, joga no outro lado do campo. O jogador vem impressionando Autuori, que já cogitou usá-lo em jogos de grande porte, na Libertadores.

– Estou ganhando essa oportunidade, espero corresponder e vou continuar fazendo meu trabalho Quem sabe não sou titular (domingo)? – afirmou o promissor atleta.

Contratações
Diante das escassas opções no setor, o diretor de futebol do Atlético-MG, Eduardo Maluf, foi atrás de dois nomes: Emerson da Conceição e
Mansur. São alvos pouco badalados. O primeiro jogou quase toda sua carreira na Europa e deve ser contratado em maio, junto ao Rennes.

Já Mansur se destacou na basedo Vitória, tem 20 anos, e pode ter 50% dos direitos econômicos comprados por 2 milhões de reais.

Porém, há um problema na ida ao mercado. O prazo para inscrição no Estadual acabou na sexta-feira e o Atlético só pode inscrever novos
jogadores na Libertadores a partir das oitavas de final do torneio.