icons.title signature.placeholder Maurício Ferro
29/07/2014
11:56


Já de olho no confronto do final de semana contra o Goiás, pelo Campeonato Brasileiro, o Fluminense aproveitou a manhã desta terça-feira para fazer um jogo-treino contra o Nova Iguaçu, nas Laranjeiras. Enquanto os titulares do último domingo fizeram um trabalho regenerativo na academia, os reservas e os atletas que tiveram pouco tempo de jogo diante do Atlético-PR participaram da partida amistosa, iniciada às 9h.

Muita marcação e poucas chances

A equipe tricolor foi ao campo com a seguinte escalação: Kléver; Rafinha, Elivélton, Fabricio e Fernando; Edson, Chiquinho, Kenedy e Biro Biro; Walter e Fred. Com esses 11, o Flu teve sérias dificuldades para sair jogando. A Laranja da Baixada pressionava a saída de bola.

A parte ofensiva também deixou a desejar. Kenedy, Biro Biro, Walter e Fred procuravam se movimentar muito e alternavam posições. Mas tudo em vão. Ninguém conseguia produzir. Na única oportunidade que teve, porém, o Tricolor conseguiu balançar a rede. Em cobrança de falta, Edson cabeceou e mudou o placar: 1 a 0.


Edson abriu o placar para o Flu, mas falhou na segunda etapa (Foto: Bruno de Lima/LANCE!Press)

No primeiro tempo, mais nada de muito emocionante aconteceu. Se o Flu pouco criava, o Nova Iguaçu tampouco, mesmo com os tricolores atuando no 4-2-2-2, esquema que se mostrava vulnerável defensivamente nas últimas partidas do time pelo Brasileirão.


Falhas definem o placar

Logo no início da segunda etapa, Fred teve boa chance e não desperdiçou. O meio-campista do Nova Iguaçu errou ao sair jogando, Walter roubou a bola e passou para o companheiro. Com enorme categoria, o centroavante encobriu o goleiro e ampliou.

Da mesma forma que o atleta da Laranja da Baixada falhou, Edson também errou. O jogador que estava se destacando foi tentar recuar para o goleiro, que a esta altura já era Felipe Garcia, mas deu um passe muito curto. Marlon não percebeu que havia um adversário correndo por trás e nem se esforçou para consertar o erro do companheiro. Conclusão: Wescley se aproveitou da bobeira, driblou o arqueiro e tocou para o gol vazio.

Diferentemente do que se viu na etapa inicial, com um Fluminense sem dar chances para o adversário finalizar - apesar de também não criar oportunidades de perigo -, o Nova Iguaçu teve algumas boas chegadas que assustaram.

No soar do apito do árbitro, o resultado acabou ficando no 2 a 1 para os donos da casa, que terminaram com a seguinte formação: Felipe Garcia; Rafinha, Elivélton, Marlon e Fernando; Edson, Chiquinho, Matheus Carvalho e Samuel; Walter e Fred.