icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
25/03/2014
18:39

O Manchester City não deixou a zebra passear no Old Trafford, dominou o rival Manchester United durante todo o jogo e encaminhou mais um título inglês, o segundo nos últimos três anos. O 3 a 0 contra os Red Devils nesta terça-feira provou a força dos visitantes, que eram favoritos no clássico pela primeira vez na história da Premier League. Essa é a terceira vitória consecutiva dos Citizens sobre o United, e a segunda seguida por goleada - na ida, em casa, o time do técnico Manuel Pellegrini sapecou 4 a 1 no inimigo.

Com o resultado, os Citizens foram a 66 pontos e estão a apenas três do líder Chelsea. No entanto, o campeão inglês de 2012 tem duas partidas a menos que os Blues e, se tudo der certo, será o líder. Com apenas nove rodadas restando, o City depende apenas das suas próprias forças para levantar novamente a Premier League. O United, por sua vez, segue na sétima posição, com 51 pontos, longe de uma vaga na Liga dos Campeões.

A vitória dos visitantes foi contruída logo antes do primeiro minuto. Aos 43 segundos de jogo, Dzeko abriu o placar após uma breve pressão do Manchester City. Nasri começou o lance, driblando Phil Jones e chutando na trave. Caprichosamente, a bola voltou nos pés do atacante bósnio, que não perdoou De Gea. Com o placar a favor e liderado por Silva e Navas pelo lado direito do ataque, os Citizens dominaram quase todo o primeiro tempo. Apenas no fim dos primeiros 45 minutos, o United equilibrou o jogo, com Rooney em destaque.

Rooney foi o único jogador do United que fez algo na partida (Foto: AFP)

A segunda etapa começou da mesma forma - pressão forte do Manchester City e United totalmente perdido. Desta vez o gol não veio com segundos de bola rolando, mas o 2 a 0 chegou aos 11. Em cruzamento batido por Nasri, a bola desviou em Kompany e novamente sobrou para Dzeko completar. Combalido, os Red Devils ainda buscaram voltar ao jogo, em vão. No fim, quem acabou marcando foi o City, que transformou a vitória em goleada através de Yaya Touré.