icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
28/06/2014
08:00

Após amargar a reserva durante quase todo o primeiro semestre, Dakson aproveitou a chance que teve na última partida antes da paralisação para a Copa do Mundo. Fez um gol, foi elogiado pelo treinador, mas viu a chance de ter uma sequência ir por água abaixo. Por conta disso, ele não esconde que a paralisação da Série B não foi tão positiva, do ponto de vista individual.

O camisa 20, mesmo que com certa timidez, ressalta que este tempo sem jogos fez com que o ritmo – justamente após ter aproveitado uma chance – pode ter sido quebrado.

Com humildade, Dakson, por sua vez, avisa que os reservas têm de estar preparados para quando Adilson Batista precisar e demonstra estar tranquilo em relação ao restante do ano, uma vez que considera que a linha de trabalho do técnico é justa.

– Fizemos uma boa partida contra o Boa. A pressão estava grande, mas conseguimos sair com a vitória. Nós, que somos reservas, temos sempre de estar preparados para quando Adilson precisar. Ele é um cara justo e vai dar oportunidade para quem mecerer. É claro que a parada quebra um pouco o ritmo, mas, ao mesmo tempo, independentemente da posição ou não, o importante é estar trabalhando bem. Com a qualidade e o esforço de todos, o Vasco só tem a ganhar – disse.

A paralisação, celebrada pela comissão técnica para que pudesse trabalhar com todo o elenco e até mesmo recuperar jogadores entregues ao departamento médico, pode fazer com que Dakson tenha de voltar quase que à estaca zero na briga por uma vaga na equipe titular.

Este sentimento pode ser traduzido em uma declaração quase que despretensiosa em meio à entrevista, mas que aponta a selva que é a luta para ser escolhido entre os 11:

– O Vasco tem jogadores qualificados. Temos de matar um leão por dia e estarei à disposição sempre.

SOBE E DESCE

Chute de fora
Com um bom porte físico, é um meia que apoia bastante o ataque. Dakson tem a seu favor ainda um bom chute de fora da área, o que costuma levar perigo à defesa adversária. Vez ou outra, Adilson o testa, no time reserva, em posição parecida com a de Douglas.

Sequência
Por outro lado, Dakson nunca conseguiu se firmar no time cruz-maltino. No Vasco desde 2012, ano passado foi quando teve mais chances, mas uma lesão o atrapalhou. A falta de uma sequência é um ponto que pode pesar contra na briga por uma vaga na equipe.