icons.title signature.placeholder Felipe Bolguese e Léo Burlá
12/07/2014
19:00

A Alemanha mostrou sua nova geração de ouro para o mundo na Copa de 2010, na África do Sul, quando terminou na terceira posição após cair para a Espanha na semifinal e bater o Uruguai na disputa do terceiro lugar. Neuer, Boateng, Khedira, Kroos, Özil e Müller, mais experientes e consagrados em seus clubes, chegam à decisão diante da Argentina depois do fracasso quatro anos antes.

No Brasil, garotos como Erik Durm (22 anos), Mathias Ginter (20 anos), Christoph Kramer (23 anos), Julian Draxler (20 anos) e Mario Götze (22 anos) apareceram na seleção nacional e já podem sagrar-se campeões logo no início de suas passagens.  

Na seleção desde 2004, quando era auxiliar de Jürgen Klinsmann, e no comando técnico desde 2006, Joachim Löw prevê que a Alemanha siga no topo das melhores do mundo nos próximos anos.

- Nós temos jogadores agora que estão jogando por ótimos clubes. Temos outros jogadores mais jovens que ainda não estão jogando em clubes assim, mas que já ganham excelentes oportunidades. Na seleção atual, Marco Reus, Özil, Kroos e Neuer, por exemplo, são jovens, podem continuar jogando durante muitos anos. Temos o potencial para conseguirmos jogar no topo durante vários anos. Temos jogadores jovens para reforçar a equipe - disse o treinador germânico.

Na decisão da Copa de 2014 contra a Argentina, que será disputada neste domingo, às 16h, no Maracanã, a Alemanha tenta consagrar sua geração com um título. A seleção bate na trave desde a Copa de 2006, quando caiu para a Itália na semifinal como anfitriã. Depois, foi vice na Eurocopa de 2008, terceiro lugar na Copa de 2010 e terceiro lugar na Eurocopa de 2012. 

Ao ser questionado se todo trabalho seria em vão caso a Alemanha mais uma vez ficasse pelo caminho, Löw rechaçou a ideia, apesar de dizer que confia que a conquista sairá desta vez. 

- Nosso time amadureceu nos últimos meses. Durante a competição, mostramos o que podemos fazer. Mesmo que sejamos derrotados, o que não acredito desta vez, vejo um bom futuro para o futebol alemão. Ficaríamos decepcionados, claro, mas esse time tem futuro - afirmou.