icons.title signature.placeholder João Pires
12/12/2013
07:10

O futuro de Bia Figueiredo no automobilismo está indefinido. Após seis anos se dedicando à IndyCar, sendo dois na IndyLights (categoria de acesso) e três correndo na categoria principal, a piloto brasileira ainda não sabe se conseguirá firmar um contrato para 2014.

Diante deste cenário, apareceu na carreira de Bia, que está com 28 anos, uma oportunidade. A piloto pode tentar uma vaga na recém-criada United SportsCar, categoria de corrida de turismo que resultou da fusão da Grand-AM com a American Le Mans Series (ALMS).

E MAIS:
> Webber já faz testes com a Porsche para o Mundial de Endurance
> Sebastian Vettel confirma gravidez da namorada e será pai
> Tony Kanaan comemora dois títulos de 500 Milhas no mesmo ano
> Bia Figueiredo comemora 20 anos de carreira e mostra lado vaidoso

No início de novembro, Bia, a convite da organização, fez testes para a United SportsCar com a equipe 8Star Motorsports, utilizando um Corvette DP. A estreia da nova categoria será em janeiro, com a tradicional disputa da 24 horas de Daytona, a primeira das 12 etapas que vão compor o campeonato, sendo todas nos Estados Unidos, exceto a sétima, a ser realizada no Canadá.

- Eu fiz um teste somente, mas existe a possibilidade de eu correr nela (United SportsCar) ano que vem. Vai depender das equipes e dos patrocinadores. Por mim, essa decisão sairia o mais rápido possível, mas isso depende de várias partes ainda em negociação - disse Bia, ao L!.

Este ano, Bia correu apenas sete etapas da Indy e teve a 14ª posição no Grande Prêmio de Long Beach (EUA), em abril, como melhor resultado. E é justamente a sede por reconquistar vitórias que pode estimular Bia a ir para a United SportsCar, categoria que ela acredita ter capacidade para ganhar popularidade no Brasil:

- Um brasileiro precisa despontar e andar bem lá (United SportsCar) para existir a possibilidade de ficar popular aqui (Brasil). Adoraria ser este brasileiro, pois quero voltar a vencer como fiz durante toda a minha carreira, menos na Indy.

Bia Figueiredo durante teste com equipe da United SportsCar (Foto: Divulgação/United SportsCar)

Entretanto, a piloto ressalta que a preferência segue sendo pela IndyCar. O motivo? Ela ainda tem esperanças de realizar o sonho de correr uma temporada completa na tradicional categoria:

- A preferência é a Fórmula Indy, pela história e porque já me acostumei lá. Adoraria ter a oportunidade de fazer o campeonato inteiro. Em 2011 quase consegui, mas quebrei a mão e perdi uma etapa. Eu gostaria de aplicar o trabalho no ano inteiro para obter bons resultados, o que ainda não aconteceu.

Pelo menos três brasileiros devem competir na United SportsCar em 2014. São eles Christian Fittipaldi, pela equipe Action Express Racing, Oswaldo Negri, pela Michael Shank Racing, e Bruno Junqueira, pela RSR Racing.

A carreira de Bia Figueiredo no automobilismo

Bia Fgueiredo ingressou na Fórmula Renault em 2003 e conseguiu a terceira colocação no campeonato de 2005, com três vitórias. No ano seguinte, iniciou na Fórmula 3, conseguindo uma quinta colocação na temporada.

Na Indy Lights, ela começou em 2008, pela equipe Sam Schmidt Motorsports. Foi neste ano que ela se tornou a primeira mulher da história a vencer na categoria, em Nashville. Em 2009, venceria novamente em Iowa.

Em 2010, entrou na IndyCar, competindo em quatro corridas pela Dreyer & Reinbold Racing. No ano seguinte, teve seu melhor resultado da carreira em uma etapa da Indy - 11ª posição em Toronto (CAN). Em 2012, ela não conseguiu uma vaga no grid e correu apenas duas vezes, em São Paulo e Indianápolis, pela Andretti.

Este ano, Bia fez sete corridas pela equipe Dale Coyne na Indy, mas sofreu com quebras mecânicas em cinco provas. Seu melhor momento foi a 15ª posição na 500 Milhas de Indianápolis, seu melhor resultado na mais tradicional prova da categoria.