icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
28/12/2013
20:04

Zico se despediu do Maracanã com estádio cheio, a torcida feliz, samba e muito calor no Rio de Janeiro, em um típico sábado de verão na cidade. Mas nenhum sol forte foi capaz de afastar os cerca de 60 mil rubro-negros que compareceram ao estádio, onde pintaram as arquibancadas de vermelho e preto e animaram o amistoso do início ao fim. Toda a festa rubro-negra em homenagem ao Galinho foi recompensada com momentos de brilhantismo em campo e a vitória do time do anfitrião por 7 a 3.

Antes mesmo de Zico entrar em campo, a bateria da escola de samba Imperatriz Leopoldinense animou a torcida com o samba enredo que vai homenagear o ex-jogador no Carnaval de 2014, dando um toque cada vez mais carioca à festa. A noite era mesmo de Zico. Tanto que apesar das dores no joelho, que o acompanham desde a aposentadoria como jogador, ele abriu o placar no amistoso. O Galinho invadiu a área pela esquerda, saiu do goleiro e chutou sem chance de defesa, fazendo o estádio vibrar, logo aos quatro minutos de jogo e fez os mais nostálgicos se lembrarem da época em que a camisa 10 do Flamengo era dele e de mais ninguém.

E MAIS
- Apesar de elogios de Zico, gramado do Maracanã inspira cuidados
- Neto de Zico faz gol no fim e rouba a cena no Maracanã

GALERIA DE FOTOS
- Os grandes momentos de Zico no Maracanã

Uma vez o placar aberto, o time dos Amigos do Zico decolou em campo e não mais deu espaço para a o time das Estrelas do Brasil. Em outra demonstração de belo futebol, Zico passou para Hernane, que tabelou com Romário, que invadia a área para marcar o primeiro dos seus três gols no jogo.

A festa só mudou um pouco de tom quando Renato Gaúcho ou Conca tocava na bola pelo time do Estrelas do Brasil. A torcida fez destes momentos a partida festiva de um Fla x Flu, mas sem o Tricolor em campo: ouviam-se gritos de "ão ão ão Segunda Divisão" e "o Fluminense é a vergonha do Brasil", em referência ao fato do rival não ter caído para a Série B de 2014 por causa de uma decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJD). Um dos poucos momentos em que o Maracanã ficou calado foi justamente no gol de Conca para o time das Estrelas do Brasil, ainda no primeiro tempo.

A noite era de Zico, mas o Baixinho também queria matar saudade do Maracanã. Seu típico oportunismo na grande área rendeu três gols no amistoso e vários aplausos calorosos da arquibancada, que foram retribuídos por ele em campo. E a cada substituição, os abraços dos amigos que estavam em campo se multiplicavam, entre gritos de "Ei ei ei, o Zico é nosso Rei", a alegria no gramado e nas arquibancadas foi a tônica da despedida do maior artilheiro que o Maracanã já teve.

FICHA TÉCNICA
AMIGOS DO ZICO 7 X 3 ESTRELAS DO BRASIL

Estádio: Maracanã, Rio de Janeiro (RJ)
Data/hora: 28/12/2013 - 18h (de Brasília)
Público: 50.625 pagantes, 9377 gratuidades e 1066 cadeiras cativas/ Renda não divulgada

GOLS: Zico 4'/1ºT (1-0); Romário 7'/1ºT (2-0); Conca 26'/1ºT (2-1); Romário 39'/1ºT (3-1); Romário 16'/2ºT (4-1); Rafinha 27'/2ºT (5-1); Thiago Coimbra 29'/2ºT (6-3); Beto 44'/2ºT (7-3)

Amigos do Zico: Fillol, Léo Moura, Jayme de Almeida, Wallace, Leonardo, Júnior, Elias, Tita, Adílio, Zico e Romário.

Estrelas do Brasil: Milagres, Djair, Pereira, Gonçalves, Luizinho, Paulo César, Renato Gaúcho, Ademir da Guia, Cláudio Adão, Alex Dias e Nakata.