icons.title signature.placeholder Murilo Dias
27/04/2014
18:06

Domingo, 27 de abril de 2014. O dia em que o Corinthians se despediu do Pacaembu e o dia em que o Pacaembu se transformou em Coliseu. A partida entre Timão e Flamengo foi narrada os 90 minutos pelas 36 mil vozes que ecoavam das torcidas alvinegras e rubro-negras, e o placar de 2 a 0 para o Alvinegro foi justo.

Como gladiadores, os jogadores de Corinthians e Flamengo disputaram a partida com sangue nos olhos. Em alguns momentos, sangue demais. O cartão amarelo de Guerrero logo no início da partida e a expulsão de Léo Moura no final da primeira etapa davam o tom de um jogo pegado.

Para alívio da torcida do Timão, Guilherme abriu o placar logo aos nove minutos, após cobrança de escanteio. A pressão corintiana, porém, não foi revertida em gols. O Flamengo, por sua vez, não assustou Cássio em nenhum momento do primeiro tempo, mesmo tendo maior posse de bola: 55,7%. O Rubro-Negro pecou no último passe e não conseguiu avançar da faixa do meio de campo, onde ficou a maior parte do tempo.

O volume do Coliseu paulistano se intensificou no final da primeira etapa, quando Léo Moura deu um forte carrinho em Petros, que partia para o contra-ataque. Corintianos vibrando, flamenguistas esbravejando.

O segundo tempo começou assim como terminou a primeira etapa. Timão pressionando e Mengão conseguindo resistir. Fábio Santos quase ampliou o placar com uma bomba da entrada da pequena área. Amarelado, Guerrero participou pouco da partida e teve seu nome narrado apenas quando rolou para Guilherme chutar, mas ser bloqueado pela defesa flamenguista. Além, é claro, de quando cometeu uma de suas quatro faltas.

O Flamengo conseguia se segurar, mas, ainda amarrado no meio de campo, nem chegava perto de incomodar Cássio. A melhor chance para o time do Rio veio na metade da segunda etapa, quando Luiz Antônio bateu por cima do gol.

Amarrado não estava Cássio quando, novamente, Luiz Antônio chutou e a bola desviou na defesa alvinegra. Mostrando elasticidade, o goleiro do Timão se esticou e evitou o empate rubro-negro.

Amarrados também não estavam corintianos e flamenguistas, que continuavam a cantar, mesmo vendo uma partida sem grandes chances de gol.

À medida em que a partida chegava ao fim, a qualidade técnica diminuia. De duelo de gladiadores, o Pacaembu se tornou um palco para um show de horrores.

Fábio Santos resolveu mudar este quadro. Em ótimo ataque pela esquerda, o lateral deu belo passe para o "centroavante" Gil, que se antecipou à marcação flamenguista e marcou. Com a vantagem no placar e com um homem a mais no campo, o Timão fazia contagem regressiva para sua primeira vitória no Campeonato Brasileiro.

Com a derrota, aumenta para cinco o número de jogos em que o Flamengo não vence.

O juiz apitou, o Coliseu se calou, a luz se apagou. Corinthians venceu. Flamengo perdeu. O Pacaembu? Presenciou uma bela festa fora do campo e um jogo mediano dentro. Para o adeus, poderia ter sido melhor.

FICHA TÉCNICA
CORINTHIANS 2 X 0 FLAMENGO

Data e horário: 27/4/2014, às 16h
Local: Estádio Pacaembu, em São Paulo (SP)
Árbitro: Leandro Pedro Vuaden - (Fifa/RS)
Assistentes: Rafael da Silva Alves (RS) e Jose Eduardo Calza (RS)
Público/ Renda: 36.402/ R$ 1.532.379,50
Cartões amarelos: Ralf e Guerrero (Corinthians); Cáceres (Flamengo)
Cartão vermelho: Léo Moura (aos 42'/1ºT)

GOLS: Guilherme (9'/1ºT, 1-0) e Gil (34'/2ºT, 2-0)

CORINTHIANS: Cássio, Fagner, Cleber, Gil e Fábio Santos; Ralf, Guilherme e Jadson; Romarinho (Malcon, aos 25'/2ºT), Petros (Danilo, aos 17'/2ºT) e Guerrero (Luciano, aos 17'/2ºT). Técnico: Mano Menezes.

FLAMENGO: Felipe, Léo Moura, Wallace, Samir e João Paulo; Caceres, Marcio Araujo, Luiz Antonio e André Santos (Lucas Mugni, aos 15'/2ºT); Paulinho e Alecsandro (Nixon, intervalo). Técnico: Jayme de Almeida.