icons.title signature.placeholder Bruno Cassucci
23/11/2013
06:10

Algumas condições tornam a contratação do técnico Ney Franco, atualmente no Vitória, mais difícil para o Santos. Os valores de sua multa rescisória e de sua comissão técnica, que conta com o auxiliar Éder Bastos e o preparador físico Alexandre Lopes são os principais entraves ao Peixe.

Assim, o clube se voltou para outras duas opções: Paulo Autuori, atualmente desempregado, e Oswaldo de Oliveira, no Botafogo. O segundo é o preferido do presidente Odílio Rodrigues e de parte do Comitê de Gestão, mas também tem empecilhos. Seu salário não é baixo e ele deve ficar no clube carioca caso se classifique para a Libertadores do ano que vem. Atualmente, é o quinto do Brasileirão.

Autuori, à exemplo de Ney Franco, tem um auxiliar fixo, Renê Weber, e um preparador físico, Gilvan Santos. O fato de estar em baixa, após trabalhos sem sucesso por Grêmio, São Paulo e Vasco pesa contra sua escolha, mas ele tem simpatia de parte da cúpula santista.

A diretoria alvinegra não abre mão de seu atual preparador físico, Ricardo Rosa. Querido pelos jogadores, ele é visto como competente em sua área, um grande motivador e relativamente barato ao Alvinegro.

A hipótese de trabalhar com dois preparadores não está descartada, mas o Santos tenta convencer o futuro treinador a abrir mão de seu profissional. Ney Franco, no entanto, já avisou que não aceita.

A diretoria alvinegra tem pressa para definir o novo comandante, a fim de não comprometer o planejamento para a próxima temporada. Nos bastidores, a expectativa é de que a semana seja decisiva quanto a isso. O presidente em exercício Odílio Rodrigues e o superintendente de esportes André Zanotta são os encarregados das negociações. O L!Net tentou contato com ambos, mas não obteve sucesso. Os membros do Comitê não concedem entrevistas.