icons.title signature.placeholder Felipe Bolguese
18/06/2014
08:10

Para a torcida brasileira, angustiada com o empate sem gols com o México nesta terça-feira, devia passar pela cabeça a impressionante goleada por 4 a 0 da Alemanha sobre Portugal, na última segunda-feira. “Como jogam fácil os alemães...”. Fácil e para frente. Nas últimas duas Copas, não houve seleção que tenha balançado as redes mais vezes: foram 20 gols em oito partidas.

A seleção germânica marcou 16 gols em sete partidas no Mundial da África do Sul, em 2010. Faltaram gols nas derrotas por 1 a 0 para a Sérvia, uma zebra da fase de grupos, e na semifinal contra a Espanha, sem Thomas Müller (suspenso), em resultado que encerrou o sonho do título.

Na edição atual, a “sacolada” veio logo na estreia, contra a equipe de Cristiano Ronaldo. Há quatro anos, Messi e a Argentina levaram de 4 a 0 nas quartas de final, enquanto a Inglaterra perdeu de 4 a 1 nas oitavas.

– Do meio para frente temos muitos bons jogadores. Todos são muito ofensivos. Eles sabem jogar pelas pontas, pelo meio, ninguém fica estático. É muito difícil marcar essa equipe e provamos que a Alemanha pode fazer muitos gols – afirmou o treinador da seleção, Joachim Löw.

O “DNA ofensivo”, expressão que ficou conhecida no futebol brasileiro, é seguido à risca pelos germânicos. Muito fruto também do modelo nacional de sucesso, com Bayern de Munique e Borussia Dortmund, que somam 11 dos 23 convocados.

A expectativa para as próximas rodadas é que os germânicos também não tenham dó de Gana, no dia 21, em Fortaleza, nem de Estados Unidos, no dia 26, em Recife. Comemorar gols já virou rotina para esses jogadores. Falta, agora, tirar da garganta o grito de “É campeão!”

Sem Reus e com ‘meio’ Klose

A Alemanha é considerada favorita ao título, mas poderia ser ainda melhor. Tudo porque Joachim Löw perdeu seu principal jogador. A dois dias para a viagem ao Brasil, o meia Marco Reus, do Borussia Dortmund, rompeu os ligamentos do tornozelo esquerdo no amistoso diante da Armênia e foi cortado. Ele havia sido eleito o melhor da última Bundesliga. E vale lembrar que Klose teve ano de lesões e não inicia a Copa 100%. Contra Portugal, ele nem entrou.

PRINCIPAIS ATAQUES NAS ÚLTIMAS COPAS
DESEMPENHO EM 2010 E 2014

Alemanha - 20 gols/8 jogos
Holanda - 20 gols/ 9 jogos
Brasil - 12 gols /7 jogos
Argentina - 12 gols/6 jogos
Espanha - 9 gols/9 jogos

OPÇÕES OFENSIVAS DE LÖW

Özil
Foi escolhido para ser o “homem de criação”, mesmo caindo pelas pontas, com passes e visão de jogo. Tem sido criticado pela imprensa alemã e não fez um grande jogo diante de Portugal.
......................

Götze
Destacou-se em sua estreia em Copas. Teve personalidade, sofreu pênalti e se firmou ainda mais no ataque alemão.

......................

Kroos
É um incansável no meio, ajudando na marcação e chegando com qualidade.

......................

Müller
Foi o falso 9 na estreia e marcou dois gols com oportunismo se centroavante. Também saiu e deu trabalho.

......................

Podolski e Klose
Titulares em Copas passadas, hoje são opções no banco de reservas. O primeiro entrou diante de Portugal. Já o segundo vem de ano de lesões e não tem condições ideias. No entanto, persegue o posto de maior artilheiro das Copas e ainda vai aparecer em campo.

Draxler
Apesar de fazer parte do grupo, jovem não deve ter oportunidades nesta Copa do Mundo, a não ser que Löw opte por um tme reserva.