icons.title signature.placeholder Igor Siqueira e Pedro Barboza
11/03/2014
13:37

Em uma assembleia para levantar o ego do dirigente, o presidente da Ferj, Rubens Lopes, foi reeleito por aclamação nesta terça-feira para mais três anos de mandato à frente da entidade. A revolta de Flamengo, Fluminense e Vasco não contagiou outros clubes e ligas do estado, e a reunião foi uma mera formalidade diante da definição mais do que clara do quadro eleitoral da Ferj.

A assembleia foi rápida e teve até discurso de Eurico Miranda, que atua como conselheiro de Rubens Lopes nos bastidores, mas oficialmente não tem cargo na Federação. Logo após a abertura da sessão, Eurico tomou a palavra para desvalorizar a posição do trio de grandes e reforçar o apoio a Rubens Lopes.

E MAIS
- Por relação com patrocinador, Bota mantém apoio a Rubinho na Ferj
- Por melhorias no Carioca, Fla, Flu e Vasco rompem com presidente da Ferj

- Quero dizer que esse filme eu já vi. O patinho feio é sempre o campeonato do Rio. Não interessa se estamos em ano atípico, mas o que interessa é o processo de desmoralização do futebol do Rio. Mas eu digo: o futebol do Rio não são os quatro grandes, é isso o que eu estou vendo aqui. Pelo fortalecimento da nossa base, pelo trabalho desenvolvido pelo Rubens Lopes, eu tenho que, aqui, prestar uma homenagem a ele – afirmou Eurico aos presentes, sendo aplaudido em seguida.

O Botafogo, único dos quatro principais clubes do Rio a não romper com Rubinho, teve participação destacada na eleição. Mauricio Assumpção, inclusive, foi o único presidente dos quatro a comparecer à eleição. Vasco e Fla mandaram representantes e o Fluminense nem isso. Assumpção tomou a palavra logo após Eurico e pediu a aclamação de Rubinho, já que a maioria tinha assinado apoio ao atual presidente.


Eurico (centro) discursou durante reeleição de Rubens Lopes (Foto: Bruno de Lima/LANCE!Press)

O presidente da comissão eleitoral, Elias Duba, acatou o pedido e declarou Rubinho como novo presidente. O mandatário foi aplaudido de pé por quase todo auditório. Rubens Lopes terá mais três anos de mandato, ficando no cargo até 2018.