icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
20/11/2013
11:04

O Atlético-PR fez da Vila Capanema, estádio do rival Paraná, a sua casa este ano, por conta da reforma da Arena da Baixada para a Copa-2014. E os cerca de 17 mil torcedores que costumam lotar a arquibancada só presenciaram uma derrota do Furacão em 19 jogos em 2013. Confiando no histórico positivo, os atleticanos querem aproveitar a mística do Durival de Britto para deixar encaminhado um inédito e histórico título da Copa do Brasil nesta quarta-feira.

A partida contra o Flamengo será a última do time comandado por Vagner Mancini no estádio. O Atlético jogará os seus dois últimos jogos como mandante no Brasileirão em Joinville, por conta de gancho do STJD. A violência da torcida motivou a punição. E ano que vem, o Furacão volta à Arena da Baixada. Fica a vontade de se despedir com chave de ouro.

E MAIS:
> Hernane começou a mudar trajetória dele no futebol em Curitiba
> Atlético-PR x Flamengo: quem é melhor, posição por posição?
> Cuidado, Flamengo! Veja os perigos que o Furacão oferece na final

No torneio mata-mata, o Rubro-Negro paranaense ganhou todos os quatro jogos que disputou no estádio e levou gol em apenas um deles, contra o Paysandu, ainda pela terceira fase da competição.

Isso que comprova a eficiência do setor defensivo atleticano. A marcação começa ainda no ataque, os volantes mordem muito, e Manoel e Luiz Alberto formam uma sólida dupla de zaga.

CRIA DO RIVAL

Um dos líderes do Atlético-PR, Luiz Alberto surgiu para o futebol justamente no Flamengo, clube que defendeu entre 1993 e 2000. Aos 35 anos, ele reaparece no cenário nacional em outro Rubro-Negro e com boas atuações. Peça-chave no eficaz sistema defensivo do Furacão, ele já deixou claro que o Atlético não pode ser considerado o azarão da final.

– Nós provamos que podemos jogar de igual para igual com qualquer um – disse o zagueiro, após o Furacão se garantir na decisão.

HISTÓRICO NO DURIVAL

No Campeonato Brasileiro, o Atlético mandou 15 jogos no Durival: são 11 vitórias, três empates e apenas um revés. Já na Copa do Brasil, o estádio recebeu quatro jogos, com quatro triunfos do Furacão. O aproveitamento total é de 84,1% dos pontos.