icons.title signature.placeholder Felipe Domingues e Guilherme Cardoso
06/11/2014
08:39

Em sua 12ª temporada na Fórmula 1, o brasileiro Felipe Massa já teve sete companheiros de equipe diferentes. Em seu currículo, apenas três equipes e um retrospecto negativo: só duas vezes terminou o campeonato à frente de seus colegas de time. E nesse ano, a situação não deve mudar.

Em 2014, o brasileiro ocupa a oitava posição em seu primeiro ano pela Williams, com apenas um pódio em 17 provas (83 pontos). Seu companheiro, o finlandês Valtteri Bottas, já conseguiu cinco pódios e ocupa a quarta posição no Mundial, com 155 pontos.

Massa chegou à equipe inglesa como o símbolo da experiência, como contraste à juventude de Bottas. Até agora, o brasileiro ajudou na formação do carro para esta temporada, mas só completou à frente do companheiro em cinco treinos e sete corridas.

Para vencer o confronto direto, Massa precisaria conquistar as duas últimas provas desse ano.

Em seus três primeiros anos na F-1 (2002, 2004 e 2005), Massa vestiu o macacão da Sauber, a pequena equipe suíça que nunca venceu uma corrida em 17 temporadas.

Em cada ano, teve um companheiro diferente, mas o piloto canadense Jacques Villeneuve, foi o único “derrotado” pelo brasileiro. Em 2005, Massa foi o 13, dois pontos à frente do campeão de 1997.

Chamando a atenção da Ferrari, passou a vestir as cores da escuderia italiana. Em 2008, disputando o título até a última prova, Massa ficou com o vice-campeonato, mas foi o bastante para terminar a temporada à frente de seu companheiro, o finlandês Kimi Raikkonen.

Após sofrer um grave acidente em 2009, Massa não conseguiu mais superar seus companheiros de time, terminando as quatro temporadas seguintes na Ferrari atrás do espanhol Fernando Alonso.

Massa tem pouco tempo para diminuir essa desvantagem. O primeiro passo pode vir em casa.