icons.title signature.placeholder Guilherme Cardoso
icons.title signature.placeholder Guilherme Cardoso
21/07/2013
16:50

A brasileira Lorena Spoladore levou o ouro no salto em distância feminino, na categoria T11, no Mundial de Atletismo Paralímpico, neste domingo, em Lyon (FRA). Logo em sua estreia na competição, ela não se intimidou e conseguiu a primeira colocação.

Aos 17 anos, a atleta é considerada uma das revelações do esporte paralímpico do Brasil. A atleta venceu a prova com a marca de 4m37 atingida em seu quarto salto.

- Foi surpresa, foi meio esperado. Queria muito, sei lá. Nem sei explicar. Minha melhor marca, que era 4,49 m, era uma algo que me daria esperança de pódio. Analisando o ranking, não daria ouro, mas a gente veio para a luta. A tendência seria melhorar. Eu estava muito nervosa, mas deu tudo certo - afirmou Lorena ainda sem ter a total noção do resultado.

Uma das mais novas da delegação brasileira em Lyon, Lorena sempre recebe ligações da mãe, Zilga, com recomendações.

- Ela me liga, a gente conversa pela internet todo dia. Hoje, não deu pela correria e pelo fuso horário, mas ela disse que rezaria por nós. Deve ter gritado muito, que eu conheço a minha mãe. Gritado, torcido, chorado nos últimos saltos... Uma festa - disse Lorena.

Em segundo lugar ficou a grega Paraskevi Kantza com 4m28, e em terceiro veio a chinesa Juntingxian Jia, com 4m17.

*O repórter viaja a convite do Comitê Paralímpico Brasileiro

A brasileira Lorena Spoladore levou o ouro no salto em distância feminino, na categoria T11, no Mundial de Atletismo Paralímpico, neste domingo, em Lyon (FRA). Logo em sua estreia na competição, ela não se intimidou e conseguiu a primeira colocação.

Aos 17 anos, a atleta é considerada uma das revelações do esporte paralímpico do Brasil. A atleta venceu a prova com a marca de 4m37 atingida em seu quarto salto.

- Foi surpresa, foi meio esperado. Queria muito, sei lá. Nem sei explicar. Minha melhor marca, que era 4,49 m, era uma algo que me daria esperança de pódio. Analisando o ranking, não daria ouro, mas a gente veio para a luta. A tendência seria melhorar. Eu estava muito nervosa, mas deu tudo certo - afirmou Lorena ainda sem ter a total noção do resultado.

Uma das mais novas da delegação brasileira em Lyon, Lorena sempre recebe ligações da mãe, Zilga, com recomendações.

- Ela me liga, a gente conversa pela internet todo dia. Hoje, não deu pela correria e pelo fuso horário, mas ela disse que rezaria por nós. Deve ter gritado muito, que eu conheço a minha mãe. Gritado, torcido, chorado nos últimos saltos... Uma festa - disse Lorena.

Em segundo lugar ficou a grega Paraskevi Kantza com 4m28, e em terceiro veio a chinesa Juntingxian Jia, com 4m17.

*O repórter viaja a convite do Comitê Paralímpico Brasileiro