icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
03/03/2014
07:00

O Atlético-MG não é o mesmo de 2013. Mas começou a caminhada na Libertadores com duas importantes vitórias, sendo uma das poucas equipes com 100% de aproveitamento. Contudo, o futebol não tem a mesma força ofensiva da campanha campeã do ano passado. Mas o trabalho do técnico Paulo Autuori, aos poucos, vai sendo reconhecido pela torcida.

O treinador ajustou a defesa do clube, algo já visível e que pode ser primordial para as vitórias fora de casa. O objetivo é um só: não perder e, quem sabe, conseguir pelo segundo ano consecutivo a liderança geral da fase de grupos. E, apesar de lidar ainda com a desconfiança da Massa, o novo comandante trabalha tranquilo na Cidade do Galo para conseguir amadurecer seu estilo de jogo, pois conta com a grande confiança do time.

- Torcida pode ter um pouco mais de paciência, pois é um grande treinador e esperamos fazer história junto com o treinador - afirmou Ronaldinho Gaúcho.

Mas se o Galo não massacra seus adversários com goleadas, como na era-Cuca, a equipe alvinegra já sabe que pode contar mais com o banco de reservas. Na vitória contra o Independiente Santa Fe, por exemplo, Neto Berola e Guilherme foram os responsáveis pela virada atleticana.

- Não é preciso 30 dias nem 365 dias, conheço o Guilherme, grande jogador, tem essa genialidade de achar um companheiro com um passe desse. O Berola entrou bem. O ambiente e esse aí. Todos se sentem úteis, são participativos e sabem que irão ter oportunidade, é só aproveitar - afirmou Paulo Autuori.

Ao chegar no Atlético, Autuori saberia que o time encontraria certa dificuldade de voar na temporada. É preciso um tempo para implantar sua forma de treinar e, além disso, o Galo teve uma pré-temporada muito curta, deixando a preparação física dos seus jogadores comprometida. A competitividade da equipe está sendo resgatada a cada jogo. Mas uma coisa precisa melhorar: a saída de bola dos volantes. Para isso, o treinador já começa a pensar em usar Leandro Donizete novamente na equipe. Ou até Rosinei pode ser uma opção.

- A gente tem condições de variar o desenho. Eu considero tanto o Rosinei quanto o Donizete, dois meias que marcam. A gente tem condição de jogar com eles como meias, de chegada. Podemos mudar o desenho. Alternativas que temos que ter, até porque temos que pensar em jogos fora na Libertadores. A gente não vai ficar tocando a música com uma nota só não.

ESPECIALISTAS: Quais observações pode fazer sobre a evolução do trabalho de Autuori?

"Já se pode perceber certa evolução na defesa; Com a sequência de jogos e a melhora no condicionamento físico, a tendência é a intensidade ofensiva"
Rodrigo Fonseca - Superesportes

"O Autuori chegou para arrumar a defesa e conseguiu! Agora é focar no ataque. Talvez uma mudança entre Fernandinho e Guilherme seja necessária"
Marcellus Madureira - Terra

O QUE DEU CERTO
Composição defensiva. Com Marcos Rocha mais preso atrás e os volantes sem precisar fazer cobertura, a defesa do Atlético-MG está sólida no torneio. Um gol tomado, e de fora da área.

O QUE DEU ERRADO
Fernandinho e Diego Tardelli ainda não conseguiram usar suas velocidades para jogadas de linha de fundo.