icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
08/12/2013
21:06

Humberto Peron - Colunista do LANCE!

O Fluminense não conseguiu - talvez até por falta de dinheiro - repor as perdas dos jogadores que perdeu durante a temporada - seja  por venda ou por contusão. E foram perdas consideráveis, casos do Deco, Fred, Carlinhos, Wellington Nem e Thiago Neves. A aposta nas revelações do clube também não deu certo e o time jogou vários jogos com várias improvisações.

A passagem de Luxemburgo pelo clube também foi um desastre e as nove partidas que o time ficou sem ganhar com ele foram fundamentais para queda.  

O problema do Vasco é a crise que o clube vive faz tempo, não só no futebol. Um clube que não consegue pagar suas contas de água não vai conseguir montar um time para ficar na Série A. A equação é simples. Sem dinheiro, o Vasco foi perdendo na temporada vários jogadores importantes e teve que trazer vários jogadores de Série B. Acho que seria surpresa o Vasco ter se livrado do rebaixamento.

João Carlos Assumpção - Colunista e blogueiro do L!

O Fluminense caiu principalmente pelas divisões internas entre a presidência do clube e a patrocinadora. Errou ao demitir Abel Braga, errou ao contratar Vanderlei Luxemburgo, que precisa se reciclar, e errou mais uma vez ao apostar em Dorival Júnior, outro que precisa se reinventar. Já o Vasco, sem dinheiro e muito mal administrado por Roberto Dinamite, desde o início era sério candidato ao rebaixamento. Caso típico de uma tragédia anunciada.

Mauricio Louro - Editor do L!Net

Após o empate com o Botafogo, na 25ª rodada, o Fluminense ficou nove partidas sem vitória. O pior foi não ter percebido reação no elenco. Via o time jogando e tinha a impressão de que tudo estava normal. E nada de vitória. O Fluminense fez uma espécie de sprint ao contrário, num momento determinante, na reta final do Brasileiro. E não teve Certamente o desmonte da equipe teve inflluência, mas o elenco do Fluminense não era o mais fraco deste campeonato, certamente.

O Vasco viveu um ano conturbado, sobretudo com o embargo da Justiça, que deixou o clube sem dinheiro. Crise e pressão o tempo todo fizeram de São Januário uma panela de pressão, um paiol de pólvora. Não houve como evitar o reflexo no time dentro de campo. A esperança foi depositada em Juninho, jogador em fim de carreira, sem condições de levar um time nas costas. Em determinados momentos ele fez isso, só não deu para segurar. Não há corpo que aguente.

Rodrigo Cerqueira - Editor do LANCE!

A queda do Flu se tornou uma 'surpresa' pelo fato de o clube ter conquistado no ano passado o Brasileirão. Mas, mais uma vez, não soube colher frutos das conquistas. Não investiu em infraestrutura, é refém de um modelo de patrocínio que gasta deliberadamente em jogadores e que pouco legado deixa para a estrutura do clube. A relação entre diretoria e patrocinador também é obscura. Parece uma eterna disputa para saber quem manda mais no Flu, que é o grande prejudicado.

Nos últimos anos, esse foi o retrato do Vasco. Até flertou com novos ares com a conquista da Copa do Brasil de 2011 e uma bela campanha no Brasileirão daquele ano. Porém, (principalmente) os problemas financeiros deram o tom no clube. A gestão da diretoria atual é pífia, além da herança das gestões anteriores. A falta de estrutura (como local para treinos) também é uma marca negativa. A queda era anunciada!

Thiago Bokel - Editor do LANCE!

O Fluminense errou ao confiar que tinha elenco suficiente para suprir as perdas importantes durante o ano. Quando acordou para a realidade, já não podia mais contratar. Além disso, as mudanças de treinadores, apostando sempre em nomes de impacto, tiveram peso para que o campeão do ano passado fosse rebaixado em 2013.

No caso do Vasco, o roteiro estava escrito desde o início do ano. O elenco sempre foi fraco, jogadores identificados com o clube saíram, salários atrasaram durante toda a temporada e medalhões se machucaram em momentos importantes. Isso sem contar que não teve um minuto sequer de tranquilidade na área política.

Vitor Birne - Colunista do LANCE!

O Vasco, desde o começo do Brasileirão, era o time grande com mais chances de cair, pois montou elenco fraco. Enquanto não aparecer alguém capaz de solucionar a crise econômica implementada por Eurico Miranda e mal administrada por Dinamite, a nação vascaína continuará vivendo bem mais tristezas que alegrias. Lembro que os cruz-maltinos têm uma das 5 maiores torcidas do país e, por isso, também o mercado consumidor grande espalhado pelo Brasil. Não pode conviver o tempo todo com graves problemas financeiros.

Erros de gestão e a lesão de Fred levaram o Fluminense à segunda divisão.  Gum, logo após a queda, disse que o time foi rebaixado no meio do campeonato, não no final.  Reclamou que a equipe era torta e jogava sem laterais. O treinador era Vanderlei Luxemburgo. A patrocinadora do clube impôs a contratação do decadente técnico. O presidente Peter Siemsen não queria. Como apenas um ponto a mais evitaria o descenso, não vou discordar do zagueiro.