icons.title signature.placeholder Igor Siqueira
27/06/2014
16:20

O duelo entre Colômbia e Uruguai será o jogo que vai demandar o maior trabalho das autoridades de segurança do Rio de Janeiro até o momento nesta Copa do Mundo. Pela característica das torcidas, o efetivo policial será reforçado, as restrições do acesso ao entorno do estádio serão repetidas e haverá até uma ronda noturna a partir da noite desta sexta-feira para evitar acampamentos de torcedores sem ingressos nas proximidades do estádio.

- É um cenário bastante complexo. Teremos o primeiro jogo das oitavas de final, eliminatório, com um ar de dramaticidade. E na cidade, ainda tem Fan Fest e jogo do Brasil. Serão duas torcidas de países latinos, provavelmente com torcedores com e e sem ingressos tentando vir para cá. É a operação mais complexa a ser realizada no Rio de Janeiro - admitiu o subsecretário de Grandes Eventos da Secretaria de Segurança do estado, Roberto Alzir, em coletiva nesta sexta.

E relação à atuação da Polícia Militar, por exemplo, vai haver um aumento significativo no efetivo, como avisou o tenente-coronel Cláudio Costa, porta-voz da PM.

- Estaremos com acréscimo de pessoal. Foram 3.100 no jogo passado e teremos mais 900 PMs. Isso em razão da complexidade do evento. Devemos fazer um acréscimo nas outras duas partidas (quartas de final e final). Vamos fazer um trabalho no entorno a partir desta noite com o batalhão de choque. A partir de 22h, para evitar que pessoas acampem lá - anunciou.

O subsecretário Roberto Alzir acrescentou que a necessidade do controle do acesso se deu pelo risco que foi identificado pelas autoridades de segurança depois dos incidentes com argentinos e chilenos, que conseguiram invadir o Maracanã.

- Inicialmente, não implementamos porque entendíamos que a aproximação do estádio fazia parte da Copa do Mundo, do turismo. Gostaríamos que isso tivesse sido mantido, desde que isso não impactasse na segurança. Em virtude do aumento do nível de segurança que os jogos demandam, houve a necessidade de restringir, embasada por uma análise do comitê de segurança. Isso deve ser mantido até a final - explicou.

Na operação do jogo, a Guarda Municipal também terá atuação. Só no lado externo do Maracanã, 541 homens, o que representa um aumento de 55% em relação ao primeiro jogo.