icons.title signature.placeholder Michel Castellar
21/03/2014
23:31

 Ao término da 6ª visita da Comissão de Coordenação do Comitê Olímpico internacional (COI) para os Jogos Rio-2016, a presidente Nawal El Moutawakel balanceou os elogios com as cobranças aos organizadores do evento, na tarde desta sexta-feira. E ainda falou sobre vários assuntos, dentre eles, o ataque de facções criminosas a favelas pacificadas.

Nawal destacou que o Rio está sobre a pressão dos prazos estourados mas pediu a união de todos para que o tempo perdido seja recuperado. Em seguida, destacou que tem a certeza de que é possível a realização de um grandes Jogos em 2016.

– Os Jogos Rio-2016 tem um grande potencial para ser um evento muito emocionante , que deixará muitos legados. Mas, apesar do progresso que está sendo feito, cada decisão que foi adiada e cada atraso subsequente terá um impacto negativo sobre a sua entrega. Por isso, são necessários foco e dedicação total – disse Nawal.

Quanto aos ataques de bandidos a quatro Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs) na noite de quinta-feira, Nawal disse ter sido informada sobre o problema. A presidente da Comissão de Coordenação para os Jogos Rio-2016 reafirmou sua confiança no projeto de segurança para o evento.

– Soubemos o que ocorreu nas favelas e continuamos a acreditar em nossos parceiros, nos governos. Sabemos que a segurança tem prioridade máxima tanto para eles quanto para o COI – disse Nawal.

Ainda nesta sexta-feira, o governador do Rio, Sérgio Cabral Filho, e a presidente Dilma Rouseff se reuniram em Brasília e decidiram que o estado receberá auxílio federal para combater os ataques de organizações criminosas às favelas pacificadas.

Ainda não foi decidido se policiais da Força Nacional de Segurança atuarão ou se haverá o envio de tropas das Forças Armadas.

Desde a implantação das UPPs e a diminuição das ações criminosas o assunto segurança havia deixado de nortear as entrevistas do COI.