icons.title signature.placeholder Bruno Cassucci
22/11/2013
06:03

O Santos tem até o dia 30 deste mês para exercer a preferência de compra do volante Renê Júnior, de 24 anos de idade, e já está decidido: fará isso. A diretoria alvinegra pagará cerca de R$ 4 milhões para ficar com 50% dos direitos econômicos dele. Atualmente, o atleta pertence ao Tombense, clube do empresário Eduardo Uram.

No entanto, isso não quer dizer que o jogador continuará na Vila Belmiro em 2014. O Peixe só decidiu comprar Renê pois ficou sabendo do assédio de algumas equipes do exterior a ele. Com medo de perdê-lo de graça, preferiu se resguardar. Assim, pode revendê-lo e lucrar na janela de transferências.

Antes disso, o clube tentou renovar o empréstimo do volante por mais um ano, mas não teve sucesso.

Em entrevista recente, o presidente em exercício do Santos, Odílio Rodrigues, preferiu se esquivar sobre a permanência de Renê Júnior.

– O Renê Júnior é um grande jogador, mas ainda estamos avaliando essa situação e as necessidades do elenco junto com nosso departamento de futebol, o scout (Sandro Orlandelli, observador técnico) e o Comitê de Gestão – afirmou.

Contratado no começo do ano após boas passagens por Mogi Mirim e Ponte Preta, Renê Júnior chegou como queridinho no clube. Titular com Muricy Ramalho, ele caiu nas graças da torcida e viveu boa fase.

Contudo, com a chegada de Claudinei Oliveira ele perdeu espaço, sobretudo com o crescimento do jovem Alison, de 20 anos de idade. Além disso, o volante se machucou e perdeu várias partidas, tendo atuado em apenas 13 das 35 rodadas do Campeonato Brasileiro.

Até por isso, a diretoria passou a reconsiderar a importância dele no planejamento para 2014. Como o clube pretende enxugar o elenco e trabalhar apenas com 28 jogadores, a possibilidade de saída dele ganhou força. Além disso, há grande concorrência no setor e promissoras revelações da base despontando.

O empresário Eduardo Uram mantém contato frequente com a cúpula santista e pode selar a venda dos direitos de Renê Júnior ao Peixe na próxima semana. O clube, por sua vez, pode revendê-lo antes mesmo da chegada de um novo técnico.

O volante fez 37 jogos com a camisa alvinegra e não marcou gols.

BATE-BOLA COM RENÊ JÚNIOR, DO SANTOS, AO LANCE!Net:

Está ansioso pela definição de seu futuro com o clube? Quer ficar ou acha interessante jogar fora?
Graças a Deus fiz um primeiro semestre muito bom. No segundo não tive muita sequência, joguei em outras posições e perdi um pouco de espaço. Mesmo assim, estou feliz e focado no trabalho. Minha família está bem adaptada na Baixada e eu quero ficar. Mas, se não der, sou grato ao Santos pelas chances.

Como vê o interesse de clubes do exterior em seu futebol?
Meu foco sempre foi o Santos. Fico feliz do interesse de clubes do exterior, isso vem desde a Ponte Preta. Aqui as portas se abriram ainda mais. Não tive sequência na segunda metade do ano, mas o primeiro semestre me deu visibilidade. Mas estou com a cabeça centrada, seguirei fazendo o meu trabalho.

Está bem e pode voltar ao time?
Já tenho condição, treinei essa semana com bola e não sinto dor. Acho difícil entrar agora, mas está nas mãos do treinador. Ele decide.

A mudança de técnico motiva?
Sou grato ao Muricy e respeito o Claudinei. A troca de comando dá uma motivação a mais, pode ser uma oportunidade boa a mim.