icons.title signature.placeholder Geovanne Esteves
17/07/2014
15:57

O Comitê Olímpico Brasileiro lançou na tarde desta quinta-feira, a terceira turma do PAA (Projeto de Apoio aos Atletas), em sua sede, na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro. A ideia do projeto é oferecer condições e ferramentas para que os atletas possam fazer a transição de carreira de forma mais adequada para outras áreas do esporte, mas fora das competições.

O conceito do programa visa dar um suporte ao atleta na formação global, para que eles possam aproveitar, em sua plenitude, todas as áreas do esporte durante o pós-carreira. através de cursos de formação educacional e oportunidades de experiência no mercado de trabalho.

O programa vai atuar em três núcleos, Jovens Atletas Talentosos, Atletas de Alto Rendimento e os Atletas em Transição de Carreira. Em cada uma delas, o conceito será o mesmo, o de ajudar e orientar de forma adequada para que eles possam, no futuro, seguir tranquilamente para outras áreas relacionadas ao esporte.

O evento contou com a presença de André Domingos, do atletismo; Antoine Jaoude, da luta olímpica; Elisângela Adriano, do atletismo; Fabi, do vôlei; Gabriel Mangabeira, da natação; Hudson de Souza, do atletismo; Joanna Maranhão, da natação; e Ricardo Mello, do tênis, que estão inscritos para essa terceira turma. Além deles, Natalia Falavigna, do Taekwondo; Lígia Silvia, do tênis de mesa; e Juliana Veloso, dos saltos ornamentais. A nadadora Tatiana Lemos, que está nos Estados Unidos, também está inscrito para um teste a distância do projeto.

Uma das palestrantes, foi a ex-jogadora de vôlei, Adriana Behar, que é a Gerente Geral de Plenejamento Esportivo do COB, que também participou do programa.

– O IOB quer ajudar na parte da transição de atleta no pós-carreira. Nós entendemos que o que fica em torno do atleta cresça com ensinamento sobre a gestão do esporte, na parte técnica, de treinamento e no acompanhamento no processo de desenvolvimento do atleta durante a carreira – disse Adriana.

– O fato de acompanhar, orientar e dar oportunidades no que foi definido para o próximo passo do atleta como a questão educacional, oportunidade do primeiro emprego. É uma gama enorme de possibilidades para que os participantes possam alcançar seus objetivo.

A ex-levantadora da Selação Brasileira Fabi, ficou extremamente feliz por ter recebido o convite para participar do curso e poder tomar a decisão de parar com lucidez e com opções de escolha depois de fazer as aulas e se sentir segura para escolhar um local de atuação.

– Me considero uma privilegiada por estar participando de um projeto dessa magnetudo e que foi idealizado por ex-atletas que pensaram em dar aos outros o que eles não tiveram. Que esse curso seja um exemplo para que possamos propagar a ideia do curso que é tão boa e que, certamente, mais para frente, o COB terá problemas pela grande procura de atletas – falou a medalhista olímpica.

Uma das áreas mais comemoradas pelos atletas foi a presença de um coaching no programa. O responsável por essa parte, é o especialista Antônio Carlos Moreno, que disputou quatro edições de Jogos Olímpicos como jogador de vôlei.

– É muito bom saber que vai ter um coaching falando comigo me orientando, tendo visto que no Brasil o fator de ser um atleta de alto rendimento não vem agrupado a vida acadêmica. É muito dificil ser atleta e estudante ao mesmo tempo. É muito interessante que o COB promova uma ideia como essa, já que nem todos os atletas conseguem seguir bem na vida após a aposentadoria – comentou Joanna Maranhão, da natação.

Uma novidade desta terceira edição é a participação de atletas que já fizeram parte do PAA, mas agora como orientadores, dando suporte aos novos participantes. O jogador de vôlei de praia, Emanuel, que é o atual presidente da comissão de atletas, fez um vídeo para falando da importância do projeto na vida dos que pretendem seguir no esporte, mas atrás dos bastidores.