icons.title signature.placeholder Carlos Alberto Vieira
24/06/2014
21:03

Em Manaus, todas as seleções que jogaram na Arena da Amazônia, exceto Camarões, reclamaram muito do calor e do ar abafado. Isso jogando às 18h (19h de Brasília). Nesta quarta-feira será a vez de Honduras e Suíça conhecerem a sauna, em duelo de vida ou morte, no qual eles precisam vencer e também secar o Equador, na briga pela segunda vaga do Grupo E às oitavas de final da Copa. Mas há um agravante. O primeiro é que o jogo ocorrerá às 16h locais (17h de Brasília). Pelas previsões oficiais (Climatempo, Tempo Agora) a quarta será um dos dias mais quentes deste Mundial: os termômetros marcarão 33 a 34 graus, a sensação térmica ficará entre 36 e 38 graus, com umidade de 80%. Ou seja: sauna total.

A Suíça está numa situação estranha. Pode vencer e não se classificar (caso o Equador derrote a França e mantenha a vantagem no saldo). Pode perder e se classificar (caso a derrota seja por um gol de diferença e o Equador seja goleado por quatro ou mais gols). Mas está sob pressão. O mau jogo diante da França, a lesão do zagueiro Von Bergen, um dos alicerces do time, e o mau momento do substituto Senderos tiram o sono do treinador Ottmar Hintzfeld. Ele, inclusive, vai começar o jogo com Schar na defesa. O defensor é o preferido da imprensa suíça, mas ainda não tinha sido usado na Copa.

Hitzfeld disse que não tem com a Suíça não sofrer. Mas que os jogadores estão preparados para isso. 

- Não viemos mais cedo para o Brasil por acaso. Trabalhamos a adaptação na Bahia e nos preparamos para condições extremas.

Honduras pode estar na lanterna, não ter feito nenhum ponto e jamais ter vencido um jogo de Copa do Mundo. E precisará derrotar o rival por pelo menos dois gols de diferença para começar a ter alguma chance (o Equador, que tem quatro gols a mais de saldo, teria de ser goleado pela França) Mas há muita motivação. Além da volta de seu principal jogador, Palácios, o calorão na Arena será muito familiar para os seus jogadores.

- Está abafado demais. Os suíços vão sentir. Já os hondurenhos estão em casa. O clima daqui é o mesmo do nosso país. Além disse, estamos fazendo bons jogos e podemos sair vencedores - disse Daniel Paz, jornalista do Diário Diez, ilustrando também o pensamento otimista da imprensa  "catracha", que comparece à Copa com 40 profissionais.

Nesta terça, pela manhã, os hondurenhos descansaram. No início da tarde fizeram o reconhecimento do gramado. Apesar de "experiente com o calor", quase todo o trabalho foi realizado na parte do campo que estava com sombra.

Os suíços também preferiram ficar no conforto do ar condicionado do hotel pela manhã. Somente alguns membros da comissão técnica (que foram ao shopping próximo) e Inler (que fez um passeio pela cidade num carro oficial da Fifa) deram as caras nas ruas da cidade mais abafada da Copa.

Os dois times já se enfrentaram em Copas. Na África do Sul, em 2010, deu empate: 0 a 0. Este jogo terá a arbitragem do argentino Néstor Pitana. Vale lembrar que o duelo poderá definir o adversário da Argentina nas oitavas, já que se os hermanos terminarem em primeiro no grupo, jogará contra o segundo do grupo de suíços e hondurenhos.

HONDURAS X SUÍÇA

DATA-HORA: 25/6/2014 - 17h (de Brasília)
ÁRBITRO: Néstor Pitana (ARG)
AUXILIARES: Hernan Maidana (ARG) e Juan Pablo Belatti (ARG)
ESTÁDIO: Arena da Amazônia, em Manaus (AM)

HONDURAS:

Valladares, Beckeles, Bernárdez, Figueroa e Juan Carlos Garcias; Palacios, Claros, Garcia e Espinoza; Bengston e Costly. Técnico: Luis Fernando Suárez

SUÍÇA:

Benaglio, Lichtsteiner, Djourou, Schär, Rodríguez, Dzemaili, Inler, Shaqiri, Shaka e Mehmedi; Drimic. Técnico: Ottmar Hitzfeld.