icons.title signature.placeholder Thiago Silva
27/06/2014
17:34

O especialista em hidratação esportiva, Dr. Carlos Alberto Werutsky, esteve presente em um evento organizado pela Casa Coca-Cola nesta sexta-feira, no bairro do Maracanã, Rio de Janeiro. O evento ainda contou com a presença dos zagueiros titulares da conquista da Copa do Mundo de 1994, Aldair e Márcio Santos.

Carlos analizou a primeira fase da Copa do Mundo no Brasil do ponto de vista clínico e criticou aqueles que estão colocando o clima como culpado para os desempenhos ruins.

- O clima é a desculpa. É uma justificativa para não falar que não renderam o esperado. A maioria dos jogadores, inclusive os brasileiros, que estão participando dessa Copa jogam no futebol europeu, asiático, enfim, não enfrentam o clima do Brasil. Temos várias seleções e a maioria dos jogadores não estão reclamando. Se é ruim para um, é ruim para todos - frisou o especialista.

O médico ainda ressaltou a importância de uma aclimatação para uma boa preparação e analisou a recomendação da Fifa sobre a parada técnica.

- Tudo é uma questão de aclimatação. A Alemanha, por exemplo, fez o melhor trabalho. Veio ao Brasil, se ambientou ao clima quente, treinou sob sol forte e se ambientou, ao menos visivelmente, não estão sentindo tanto essa diferença de clima. Faz muita diferença jogar em Manaus ou em Brasília, mas é questão de adaptação. Após 10 dias, estão todos equiparados, não tem mais desculpas. Quanto ao tempo técnico, isso é algo defendido pelas organizações médicas com maior credibilidade no mundo esportivo. Acredito que uma parada aos 25 minutos de cada tempo, com 3 minutos de paralisação, bebendo líquidos esportivos, como isotônicos, não água, é o ideal - analisou o médico.

Carlos finalizou com um prognóstico sobre a Copa do Catar.

- Talvez na Copa do Mundo do Catar os jogadores sintam menos. Eles vão ficar em ambientes aclimatados, com toda certeza não ficarão sob o sol de 52ºC. Nesse mundial eles devem jogar a noite, sem radiação, sem vento. A grande questão será a adaptação ao horário - comentou Carlos.