icons.title signature.placeholder Bruno Cassucci e Russel Dias
19/11/2014
08:04

Há exatamente um ano a diretoria do Santos convocava o técnico Claudinei Oliveira para uma reunião na Vila Belmiro, na qual ele foi comunicado de que não seria mantido no cargo em 2015. Hoje no Atlético-PR, ele revê o clube no qual trabalhou por quase oito anos. O reencontro terá ares de amistoso, já que a partida das 19h30, na Arena da Baixada, válida pela 35 rodada do Brasileirão tem importância quase nula para as duas equipes, que têm 46 pontos, não correm risco de rebaixamento nem brigam pelo G4.

Claudinei terá pela frente um time que ele ajudou a formar, dando oportunidades a atletas como Alison e Gabigol. Do outro lado também estará um técnico que cuja trajetória é parecida com ele. Enderson Moreira, comandante alvinegro, também iniciou sua trajetória como treinador nas categorias de base e passou por equipes da Série B até se firmar como um dos treinadores de elite do Brasil, meta atual de Claudinei.

Se para um o Peixe significou o ponto de partida, para o outro ele representa um futuro ainda incerto. Enderson tem contrato até o fim do ano que vem, mas não sabe se será mantido no cargo pelo futuro presidente alvinegro, que será escolhido em eleição no próximo dia 6. o Aproveitamento dele é quase igual ao de Claudinei pelo Peixe: 50% dos pontos conquistados.

Claudinei viveu drama parecido ano passado, quando só foi comunicado que não permaneceria no cargo a poucas rodadas do fim do Brasileirão. Em 2014, porém, ele terá um fim de ano mais tranquilo, já que ontem ele renovou contrato com o Furacão. Motivação extra para o reencontro desta noite, que, segundo ele, tem mais importância do que parece.

– Terei a satisfação de rever amigos que deixei lá e atletas que me ajudaram, mas quero ganhar. Espero vencer o jogo para que possamos passar o Santos na classificação.