icons.title signature.placeholder Marcio Porto
07/11/2013
01:00

O São Paulo segurou o empate por 0 a 0 com o Atlético Nacional na noite desta quarta-feira, na Colômbia, e se classificou para as semifinais da Copa Sul-Americana. Aliviado com a vaga, Muricy Ramalho comparou a dificuldade que encontrou com a que superou para passar pela Universidad Católica (CHI), nas oitavas de final:

- A pressão grande foi no Chile, essa aqui não foi muita. Só de barulho da torcida. Não penetraram na nossa defesa. Pensávamos que sofreríamos mais. Se a gente tivesse um pouco de cabeça, poderíamos ir melhor na frente, não fomos bem na ligação.

Na fase anterior, o Tricolor teve de fazer quatro gols para superar a Católica, que marcou três vezes e ainda parou diversas vezes em grandes defesas de Rogério Ceni. Em Medellín, o Atlético Nacional até assustou, mas não conseguiu criar nenhuma chance clara de gol durante todo o jogo.

Com o empate, o São Paulo chegou a dez partidas consecutivas de invencibilidade. A última derrota foi para o Santos, no dia 2 de outubro. Sequência que ninguém no clube poderia imaginar um mês atrás.

- É verdade. Se for ver como estávamos antes. Agora o time tem confiança. E foram dez jogos dificilímos, todos duros. Começamos contra o Cruzeiro, contra o Vitória e foi só pedreira - declarou o treinador são-paulino.

O Tricolor se classificou porque venceu a primeira partida por 3 a 2, no Morumbi. Três podem ser os adversários da semifinal: Libertad (PAR), Itaguí (COL) ou Ponte Preta.

O chaveamento encaminha confronto com paraguaios ou colombianos. Na primeira partida, vitória do Libertad por 2 a 0. O segundo jogo acontece nesta quinta-feira, na Colômbia. No entanto, se a Ponte Preta se classificar contra o Vélez Sarsfield (ARG), os duelos serão invertidos para não haver risco de dois clubes do mesmo país se enfrentarem na final.

Na semana passada, em Campinas, o jogo terminou 0 a 0. Também nesta quinta-feira, na Argentina, as duas equipes decidem a vaga.