icons.title signature.placeholder RADAR / LANCEPRESS!
01/11/2014
21:55

O Brasil de Pelotas (RS) arrancou um empate em 2 a 2 com o Londrina, na noite deste sábado, no Estádio do Café, e conduziu a equipe gaúcha à classificação para a decisão da Série D. Porém, sua inédita decisão na competição ficou marcada por cenas lamentáveis de uma briga generalizada, que culminou na prisão de uma pessoa: o goleiro xavante Eduardo Martini.

A confusão teve início aos 24 minutos do segundo tempo, quando Diogo Roque e Silvio já tinham feito o Londrina igualar o marcador, após Nena abrir uma vantagem de 2 a 0 para os gaúchos. O técnico do Brasil de Pelotas (RS) se dirigia ao vestiário quando se desentendeu com torcedores do clube paranaense. Os ânimos, que já estavam acirrados desde o primeiro tempo, quando os jogadores do LEC questionavam a cera adversária e partiram para cima dos jogadores no intervalo.

Jogadores e integrantes da comissão técnica de ambos os times iniciaram uma verdadeira batalha campal. Um massagista do Brasil de Pelotas estava munido com um espeto de churrasco.

O goleiro Eduardo Martini, do Brasil de Pelotas (RS), aproveitou que o preparador de goleiros do Londrina, Chimbica, estava caído e lhe deu um chute. Além de ser expulso, o camisa 1 saiu do estádio preso. O funcionário do Tubarão foi atendido no gramado e levado para um hospital, onde passará a noite em observação. Também foram detidos o massagista do clube e o zagueiro Fernando Cardozo, do Brasil de Pelotas.

Após 26 minutos de paralisação, a partida foi reiniciada. O Brasil ainda teve a chance de vencer, mas Nena cobrou um pênalti nas mãos do goleiro Vitor. Mesmo com o empate em 2 a 2, a equipe xavante garantiu sua vaga e esperará o vencedor de Tombense e Confiança.

Como venceu o primeiro jogo por 1 a 0, o clube mineiro terá a vantagem do empate no duelo do Presidente Médici.