icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
19/07/2013
13:52

Se o Barcelona seguir a mesma tendência de sua última mudança de treinador, Joan Francesc Ferrer, conhecido como Rubi, pode ser um forte candidato a ocupar o lugar de Tito Vilanova, que vai ter que deixar o cargo por problemas de saúde. Ele é o auxiliar do clube, função que o novo ex-técnico do time ocupava para Pep Guardiola. A possibilidade já é dada como existente na Espanha, apesar de ter apenas cinco dias na casa.

O atual auxiliar, catalão com apenas 43 anos, é visto como um homem inteligente, muito dedicado, estudioso, e até um pouco científico. Ele já vai comandar os treinamentos de forma interina. Quando Tito teve que deixar o time no ano passado, Jordi Roura (ainda funcionário do clube) assumiu.

Ex-jogador frustrado, nunca esteve em algum clube relevante, dedica-se a ser treinador desde 2001, quando começou no L'Hospitalet. No ano passado se destacou como técnico do Girona, aonde quase conseguiu o acesso.

Em um perfil de Rubi publicado esta semana pelo "El País", o jornal revela que o técnico interino do Barcelona esteve entre o futebol e trabalhar em agências de viagens, para seguir os negócios de família.

- Rubi tinha algumas dúvidas sobre seguir treinando e fui buscá-lo, estava convencido de suas possibilidades. Sua maior virtude como treinador é ser muito valente e decidido. Com os anos passou a ser equilibrado, mas sem nunca renunciar ao ataque - disse Raúl Agné, ex-técnico do Girona, que levou Rubi para ser seu auxiliar em 2011.

Tito Vilanova substituiu Pep Guardiola no Barcelona (Foto: Lluis Gene/AFP)

Descrito como perfeccionista e detalhista, Rubi garante ser equilibrado, como disse Agné. Quando esteve no Girona, chega ao centro de treinamento às 9h da manhã, e só saía às 20h. Segundo ele, apenas pela necessidade de "comer um pouquinho".

- Penso constantemente nos exercícios que posso desenvolver para alcançar determinado objetivo. Mas sou mais inquieto e imaginativo do que obsessivo - começou Rubi:

- Os treinamentos sempre eram diferentes (na época do Girona), para que os jogadores não pensassem: "Hoje é terça-feira de novo, lá vamos fazer o mesmo exercício.

Dani Mallo, capitão do Girona na época de Rubi, lembra do ex-chefe com carinho. E garante que o interino do Barça é muito cuidadoso com tudo que diz respeito ao jogo.

- Não deixava nada ao azar: analisava estatísticas, preparava vídeos, estudava as estratégias dos rivais... Sabia tudo o que iríamos enfrentar - explicou o jogador.

Ainda nesta sexta-feira às 20h30 (15h30 de Brasília), o presidente Sandro Rosell e o diretor-esportivo Andoni Zubizarreta concederão uma coletiva para dar detalhes sobre a situação e quem de fato dirigirá o Barça neste início de temporada.

Se o Barcelona seguir a mesma tendência de sua última mudança de treinador, Joan Francesc Ferrer, conhecido como Rubi, pode ser um forte candidato a ocupar o lugar de Tito Vilanova, que vai ter que deixar o cargo por problemas de saúde. Ele é o auxiliar do clube, função que o novo ex-técnico do time ocupava para Pep Guardiola. A possibilidade já é dada como existente na Espanha, apesar de ter apenas cinco dias na casa.

O atual auxiliar, catalão com apenas 43 anos, é visto como um homem inteligente, muito dedicado, estudioso, e até um pouco científico. Ele já vai comandar os treinamentos de forma interina. Quando Tito teve que deixar o time no ano passado, Jordi Roura (ainda funcionário do clube) assumiu.

Ex-jogador frustrado, nunca esteve em algum clube relevante, dedica-se a ser treinador desde 2001, quando começou no L'Hospitalet. No ano passado se destacou como técnico do Girona, aonde quase conseguiu o acesso.

Em um perfil de Rubi publicado esta semana pelo "El País", o jornal revela que o técnico interino do Barcelona esteve entre o futebol e trabalhar em agências de viagens, para seguir os negócios de família.

- Rubi tinha algumas dúvidas sobre seguir treinando e fui buscá-lo, estava convencido de suas possibilidades. Sua maior virtude como treinador é ser muito valente e decidido. Com os anos passou a ser equilibrado, mas sem nunca renunciar ao ataque - disse Raúl Agné, ex-técnico do Girona, que levou Rubi para ser seu auxiliar em 2011.

Tito Vilanova substituiu Pep Guardiola no Barcelona (Foto: Lluis Gene/AFP)

Descrito como perfeccionista e detalhista, Rubi garante ser equilibrado, como disse Agné. Quando esteve no Girona, chega ao centro de treinamento às 9h da manhã, e só saía às 20h. Segundo ele, apenas pela necessidade de "comer um pouquinho".

- Penso constantemente nos exercícios que posso desenvolver para alcançar determinado objetivo. Mas sou mais inquieto e imaginativo do que obsessivo - começou Rubi:

- Os treinamentos sempre eram diferentes (na época do Girona), para que os jogadores não pensassem: "Hoje é terça-feira de novo, lá vamos fazer o mesmo exercício.

Dani Mallo, capitão do Girona na época de Rubi, lembra do ex-chefe com carinho. E garante que o interino do Barça é muito cuidadoso com tudo que diz respeito ao jogo.

- Não deixava nada ao azar: analisava estatísticas, preparava vídeos, estudava as estratégias dos rivais... Sabia tudo o que iríamos enfrentar - explicou o jogador.

Ainda nesta sexta-feira às 20h30 (15h30 de Brasília), o presidente Sandro Rosell e o diretor-esportivo Andoni Zubizarreta concederão uma coletiva para dar detalhes sobre a situação e quem de fato dirigirá o Barça neste início de temporada.