icons.title signature.placeholder El Gráfico, do Chile
21/06/2014
17:27

A Associação Nacional de Futebol Profissional do Chile (ANFP) comunicou que nenhum dos 87 chilenos detidos do Maracanã poderá assistir a jogos em estádios do país. Em trabalho realizado em parceria com o Plano Estádio Seguro, a medida se ampara na Lei de Violência nos Estádios, que prevê punições a quem não tenha comportamento adequado nos arredores de estádios.

O presidente da ANFP, Sergio Jadue repudiou a invasão em massa dos torcedores chilenos antes do duelo de La Roja com a Espanha, no estádio do Rio de Janeiro:

- O ocorrido no Maracanã é uma situação condenável. Este tipo de pessoa, nós queremos distante dos nossos estádios.

O chefe do Plano Estádio Seguro, José Roa, louvou a atitude da ANFP:

- Trata-se de uma prova do quanto as pessoas querem permitir que as pessoas que assistam às partidas sejam as que respeitam as regras da comunidade. No momento, temos 500 nomes registrados dentre os vetados nos estádios. Estas 87 detidas e outras pessoas que venham a cometer vandalismo serão banidas de ver jogos no Chile.

Porém, Roa ressaltou que ainda há muito trabalho no combate às irregularidades ocorridas em estádios:

- Passaremos por importantes desafios no futuro, similares aos que o Brasil está enfrentando hoje. No ano que vem, sediaremos o Mundial Sub-17 a Copa América e precisamos dar exemplo.

O veto aos torcedores que cometerem irregularidades continuará valendo para chilenos que estão no Brasil, acompanhando a Copa do Mundo.