icons.title signature.placeholder Fellipe Lucena
12/03/2014
01:10

A pequena cidade de Vilhena, em Rondônia, viveu uma noite diferente nesta terça-feira. Uma multidão saiu de casa para ver de perto os jogadores do Palmeiras, que chegaram à cidade para o jogo desta quarta-feira, às 19h30, contra o time local, pela primeira fase da Copa do Brasil.

Cerca de 500 pessoas estavam no aeroporto para a chegada da delegação, que aconteceu pouco antes das 23h no horário local (meia-noite em Brasília). A multidão era tanta que os seguranças do clube não puderam permitir que os atletas parassem para dar autógrafos. Valdivia, o mais assediado, fez a alegria dos fãs ao abrir a porta do ônibus e acenar.

Boa parte dos torcedores seguiu o Verdão até a chegada ao hotel, que fica no centro de Vilhena. Lá, eram outros 300 palmeirenses aguardando a chegada dos ídolos, além de são-paulinos, corintianos e flamenguistas curiosos que foram ao local e até gritaram os nomes de seus clubes.

Alan Kardec é festejado pelos fãs na chegada ao hotel do Palmeiras (Foto: Fellipe Lucena)

Os seguranças tiveram de agir novamente para que os jogadores conseguissem descer do ônibus. Até o gerente de futebol Omar Feitosa ajudou na formação de um corredor para os atletas. Desta vez, o mais festejado foi Alan Kardec, recebido com gritos de "ão, ão, ão, Kardec é Seleção!".

Os funcionários do hotel não conseguiram controlar o fluxo de pessoas, e muitos chegaram a invadir o saguão do local, mas os palmeirenses rapidamente se isolaram nos refeitórios. Como o local não possui paredes, mas vidros que permitem que quem está fora consiga observar a parte interna, o lanche da noite foi "assistido" de perto pelos fanáticos.

Uma vitória por dois ou mais gols de diferença classifica o Palmeiras para a fase seguinte sem a necessidade do jogo de volta.

Brunoro e jogadores lancham e são 'assistidos' pelos torcedores (Foto: Fellipe Lucena)