icons.title signature.placeholder Daniela Caravaggi
12/11/2013
15:20

A disputa das modalidades coletivas dos Jogos Escolares da Juventude começaram nesta terça-feira, em Belém (PA). O estado do Amazonas, que joga a segunda divisão do futsal masculino do evento estudantil, venceu o Mato Grosso do Sul, por 5 a 1, no primeiro dia de competição. Dois gols do triunfo foram feitos pelo manauara Gabriel Marrocos, filho do chefe de delegação do estado, Ricardo Marrocos. O atleta de 17 anos de idade, que teve aulas desde pequeno com o pai, tentava participar do torneio há cinco anos, mas só neste ano conseguiu a classificação.

- Meu pai deu aula em minha escola durante muito tempo. Foi uma experiência ímpar ter sido treinado por ele. Estou tentando desde os 12 anos participar desses Jogos Escolares. Ele é chefe de delegação do Amazonas e sempre falou da estrutura e organização. Tinha muita vontade, mas sempre batia na trave, desta vez deu certo - disse Gabriel, que tem Neymar e Falcão como ídolos no esporte.

Ricardo é chefe do departamento de desporto da Secretaria de Esporte do Estado e acompanhou de perto os dois gols marcados pelo filho da arquibancada. Ele contou como foi a emoção da classificação para o evento estudantil e disse ser um pai "comportado" quando assiste às partidas do menino.

- Eu, como diretor geral dos Jogos Escolares do Amazonas, acompanhei a final. Era véspera do dia dos pais e foi muito emocionante. Ele sempre teve o sonho de ser jogador de futebol e sempre teve um talento muito grande. Semana passada o levei para fazer teste no Coritiba. Ele também foi convidado para fazer um no Flamengo, mas ainda não tive a oportunidade de levá-lo - revelou o pai, que jogou na adolescência no Atlético Rio Negro, e completou:

- Eu não costumo ser um pai desesperado, falo com ele antes e fico quietinho. Esse ano era a última oportunidade dele conseguir participar dos Jogos Escolares e ele conseguiu, a equipe é muito boa e expectativa é muito grande.

Manaus será uma das cidade-sedes da Copa do Mundo de 2014. Ricardo acredita que, com a vinda dos jogos para cidade, o esporte será resgatado e a tradição dos clubes da cidade também.

- Eu não tenho dúvida que a Copa trará um grande retorno para a cidade. Nosso futebol está na Série D. Acredito que com todos esses investimentos, com a construção da arena, o esporte vai ressurgir no estado do Amazonas. Tínhamos grandes clubes que disputavam o Campeonato Brasileiro, mas eles foram acabando, os investimentos não foram bem aplicados e não estamos com bons resultados, mas acredito que com tudo isso nosso futebol amazonense vai ter um novo rumo - finalizou.

*A repórter viaja a convite do COB