icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
25/11/2014
16:10

Após o empate por 1 a 1 entre Corinthians e Palmeiras, no dia 25 de outubro, o presidente alvinegro Mário Gobbi Filho admitiu que Mano Menezes não seguiria no clube em 2015, quando já não terá mais contrato. "Constrangido", o treinador afirmou que a situação foi mal conduzida e exigiu uma conversa para motivar o grupo para a busca da vaga na Libertadores.

- O Corinthians falou bastante por aí. A declaração do presidente de que ele não ia renovar comigo, pelas questões administrativas e políticas do clube, criou uma interpretação antecipada do que o Corinthians queria fazer e até criou um certo constrangimento. Essa questão foi mal conduzida e exigiu da gente muito profissionalismo em um momento importante da temporada. Porque era bem provável que os jogadores relaxassem também, então tive que mostrar que tínhamos coisas mais importantes para fazer, independe da minha situação de continuidade ou não - disse Mano, em entrevista ao canal "Sportv".

Após uma passagem vitoriosa entre 2008 e 2010, quando conquistou Série B, Paulistão e Copa do Brasil, Mano reassumiu o Timão em janeiro deste ano, no lugar de Tite. A equipe foi eliminada na primeira fase do Paulistão, quando oito equipes se classificaram para a fase final. Depois, caiu para o Atlético-MG nas quartas de final, ao sofrer goleada de 4 a 1 no duelo de volta.

Na terceira colocação do Brasileirão e em alta na reta final da competição nacional, o comandante afirma que seu trabalho atingiu 30% e que ele gostaria de dar sequência em 2015.

- Nem na metade do trabalho nós estamos. Eu diria que estamos em 30%. Teve a reformulação. Não tenha dúvida de que a continuidade desse trabalho seria importante para todos - concluiu.