icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
12/11/2013
11:11

O lateral-esquerdo Léo, que abandonou a posição de origem para atuar no meio de campo, está cada vez mais próximo da aposentadoria. O veterano jogador de 38 anos tem contrato com o Santos até o fim desta temporada e já sabe que a diretoria alvinegra não tem interesse em renovar o vínculo.

- Fecharam as portas do Santos para mim. Meu advogado já conversou com a diretoria e ela não tem interesse na minha permanência - afirmou o Guerreiro da Vila, apelido dado pelos torcedores, ao "Diário de S. Paulo".

- Vou ser bem claro: não tenho moral nenhuma  no Santos. Nenhuma, nenhuma, nenhuma! Tenho com o torcedor, não com o clube. Mas tenho de respeitar a decisão da diretoria - disse.

Ídolo do clube, Léo nem sequer pensa em um jogo de despedida. Ele lembrou o que aconteceu com Giovanni, ex-meia, que se aposentou em 2010 sem ter chances com o então técnico Dorival Júnior.

- Como vou pensar em jogo de despedida se a porta foi fechada para mim? Não posso pensar nisso. Não vou ter essa oportunidade. Tem um jogador do  Santos que foi ídolo aqui: o Giovanni. Ele teve despedida? Não. Então... - desabafou.

Léo voltou a falar que pretende se tornar presidente do Santos futuramente, e que seu advogado está analisando a situação. Ele é o maior vencedor pelo clube após a era Pelé, com oito títulos - três Paulistas (2010/11/12), dois Brasileiros (2002/04), uma Copa do Brasil (2010), uma Libertadores (2011) e uma Recopa Sul-Americana (2012).

Por conta da história de quase 13 anos no Peixe, o jogador rechaçou atuar por outra equipe antes de se aposentar. Nesta temporada, ele fez 31 jogos e marcou um gol. Ao todo, são 454 partidas com a camisa do Santos e 24 gols. Léo se recupera de uma artroscopia no joelho direito e sofreu com uma virose nos últimos dias.