icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
16/07/2014
15:19

A troca de farpas entre José Aldo e Chad Mendes parece não ter fim. Após o brasileiro se lesionar e sair do embate do dia 2 de agosto, pelo cinturão dos penas do UFC, na edição 176, o americano ligou sua metralhadora giratória em cima do campeão com declarações polêmicas.

O americano, que vem de uma sequência de cinco vitórias seguidas, estava sedento pela revanche diante do atleta da equipe Nova União. Os dois se enfrentaram em janeiro de 2012, no UFC Rio 2, com vitória de Aldo por nocaute técnico. Por ter sua vontade frustrada - pelo menos por enquanto - Mendes, em entrevista ao programa "Beatdown" adotou a estratégia de acusar seu adversário de usar esteróides.

- Na minha opinião, definitivamente o Aldo usa esteroides. Acredito que é algo que tem acontecido, mas ele, de uma hora para outra, desiste. Ultimamente tenho visto ele saindo de muitas lutas em cima da hora. Eu só quero que seja uma luta limpa. Na primeira vez que o enfrentei, foi no seu quintal, agora acho justo que seja no meu. Quero que fique 1 a 1 e vamos ver como vai acabar. Já conversei com o Sean Sherlby (matchmaker do UFC) e a possibilidade até o momento é de 50% para a luta acontecer no Brasil. Mas estou pressionando para que seja nos Estados Unidos - disse o desafiante ao título.

Conhecido pelo seu jeito tranquilo, José Aldo perdeu a paciência com seu rival e tem devolvido todas as ofensas que são ditas a sua pessoa. Mas engana-se quem pensa que o americano tem perdido o sono com isso. Pelo contrário, ele comemorou o fato de ter tirado o campeão do sério.

- Essa foi a primeira vez que vi o José Aldo assim. Nunca tinha visto ele perder a paciência dessa maneira e falar assim de ninguém. Estou na cabeça dele agora e vou tomar seu cinturão. O curioso foi quando apareceram os exames antidopings supresa, logo em seguida ele apareceu machucado. Eu poderia muito bem jogar isso na sua cara e ver o que acontece, mas deixa para lá - provocou.

Além de atacar o campeão dos penas, Chad Mendes também não poupou críticas ao Brasil. O desafiante ao cinturão deu a entender que no país Aldo teria mais facilidade de passar pelos testes com suborno.

- Eu estava pensando sobre isso outro dia: se alguém bater na porta do Aldo no Brasil e falar: "Você vai passar agora por um exame antidoping surpresa", ele responde: "Toma U$ 1.000 e vá embora". E assim é feito o acordo. A minha sensação é de que isso pode acontecer com muita facilidade. Só quero que seja justo em todos os lugares - finalizou.