icons.title signature.placeholder Bruno Grossi
03/02/2015
14:43

Na Argentina, embora vivesse cercado de grandes expectativas, Ricardo Centurión era um jovem promissor ainda em busca de afirmação. No São Paulo, logo no dia de sua apresentação, o argentino percebeu que será tratado como estrela e não se intimidou. Apesar de curtas, as respostas do meia de 22 anos foram repletas de personalidade.

- Nao, não foi dinheiro que me fez aceitar jogar no São Paulo. É um clube muito grande, que vai jogar a Libertadores. Gostei muito do clube. Este é um processo ao qual acho que vou me adaptar rapidamente. É um clube muito, muito grande. Queremos vencer a Libertadores e, quem sabe, ganhar o Mundial de Clubes - projetou o novo camisa 20 do Tricolor.

Se agora vive uma realidade de astro no São Paulo, Centurión ainda batalha para enterrar os fantasmas gerados por uma foto tirada aos 16 anos de idade. Com uma arma na mão, o armador viu seu nome ser vinculado à fama de "bad boy" e até uma negociação com o Real Madrid (ESP) ser frustrada. Ele assegura que o episódio foi algo isolado em sua vida, mas promete ser provocador em campo.

- Sim, sou um jogador provocativo dentro de campo (risos). Essa é a minha característica de jogo. Esse negócio da arma, eu era muito novo naquela época, tinha 16 anos. São coisas que acontecem na vida. Mas isso já é assunto do meu passado, passou. Estou muito contente e feliz de estar aqui no São Paulo - afirmou.

A personalidade apresentada pelo argentino passa também pelo desafio de encarar a concorrência de um ataque badalado no Tricolor. Paulo Henrique Ganso, Alan Kardec, Luis Fabiano e Alexandre Pato, além dos promissores Thiago Mendes e Cafu, darão trabalho a Centurión, mas nada que deixe o meia assustado.

- Não, em nenhum momento vou me sentir abaixo de ninguém. Essa é uma competição sadia e vou trabalhar para fazer minhas coisas bem. Não me sinto pressionado com essa concorrência. Vou fazer meu jogo, tentar ganhar meu lugar. Sou um jogador de desequilíbrio, que no mano a mano pode incomodar muito - apresentou-se.