icons.title signature.placeholder Leo Burlá
06/12/2013
10:36

Distante do burburinho de Salvador, a Fifa optou por fazer o sorteio final da Copa de 2014 em um luxuoso complexo hoteleiro. A distância da capital baiana até Costa do Sauípe, no entanto, não deve inibir alguns representantes da Central única dos Trabalhadores (CUT), que prometem protestar contra a precariedade do trabalho nas obras da Copa do Mundo do Qatar-2022.

Em contato com o LANCE!Net, o secretário de Relações Internacionais da CUT, João Felício, disse que o braço regional da entidade sindical deve marchar até o local do evento. Felício disse que não estima o número de pessoas que devem protestar. Ao longo do trajeto até o palco do evento, bloqueios policiais já podem ser verificados.

- Eles estão importando gente da África e da Ásia para trabalhar. iciamos a Fifa sobre os absurdos que estão acontecendo naas obras do Qatar, mas fomos ignorados por eles - disse Felício.

Sobre o teor do protesto, o sindicalista disse que a Copa no Brasil também será alvo de uma eventual manifestação. Para ele, a Fifa é uma organização de 'baixíssima respeitabilidade' no mundo.

Por meio de nota oficial, O presidente da CUT-BA, Cedro Silva, disse ter 'esperança de que seja anulada a celebração a Copa do Mundo no país em 2022, e que  os trabalhadores querem que sejam tomadas no Qatar medidas amplas e imediatas no que diz respeito aos direitos fundamentais dos trabalhadores e o fim da exploração'.