icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
29/11/2014
14:05

O tempo de Kaká está terminando no São Paulo. Depois de ser repatriado pelo clube em junho e estrear no mês seguinte, o craque promoveu uma revolução no ambiente e no elenco, mas fará amanhã seu último jogo o Morumbi após o retorno em 2014. A partir de janeiro, ele defenderá as cores do Orlando City, dos Estados Unidos.

Na última quinta-feira, Paulo Henrique Ganso já havia exaltado os efeitos da chegada de Kaká ao Tricolor. Ontem, foi a vez de Rogério Ceni e Muricy Ramalho destacarem a importância do meia.

– Além de ser grande jogador, serviu como exemplo para os jovens e recém-chegados. Foi muito importante. Um cara que foi melhor do mundo e todos olham, e aí melhora muito. É um cara parceiro, sempre alegre e passa bom exemplo. Esse pouco tempo foi excelente. O que ele agregou foi uma coisa fora de série. Seria algo muito legal ele ficar, mas tem contrato, infelizmente – lamentou Muricy.

– As pessoas que aqui estão trouxeram uma nova vida. O Kaká, lamento muito a não continuação da estada dele aqui. Acrescentou muito, será uma peça importante que vamos perder. Que o grupo possa sustentar essa perda futebolística e como pessoa, o que ele agregou como homem nesses dias que esteve com a gente. Vamos compensar isso com contratações, manutenção do grupo e do bom ambiente – afirmou Ceni, que renovou seu contrato até agosto da próxima temporada.

Sem Kaká, a diretoria do São Paulo corre contra o tempo para encontrar um substituto. A maior dificuldade, no entanto, tem sido achar um reforço que não exija investimentos absurdos. Além da reposição para Kaká, o Tricolor pretende contratar mais dois ou três atletas.