icons.title signature.placeholder Marcio Porto
06/11/2013
06:03

A cada dia que passa, a expectativa do torcedor são-paulino para saber se Rogério Ceni continuará jogando em 2014 aumenta, mas a dúvida promete se arrastar até os últimos dias deste ano. De Medellín, na Colômbia, o capitão falou mais uma vez sobre a possibilidade de renovar seu contrato e acentuou ainda mais sua indecisão, ao comentar diferentes fatores da escolha que terá de fazer.

Primeiramente, o goleiro disse que não há segredos no modo de negociar com o São Paulo e ignorou até o aspecto financeiro. Ele deu a entender que não deve ter dificuldades para acertar um novo vínculo. O seu contrato atual vence em dezembro e, a princípio, a ideia de Ceni era se aposentar ao término dele.

- Não tem muito segredo, já expliquei. Não vou jogar em outro time. Não tenho interesse em uma transferência. Não peço, nunca, se for renovar, um aumento de salário. Não peço luvas, nunca peço dinheiro nenhum - disse o capitão, ao comentar o otimismo de Juvenal Juvêncio em sua permanência, como afirmou o presidente ao LANCE!Net.

Em seguida, Rogério adotou tom mais cauteloso. Mencionou o imprevisível sempre presente no futebol para explicar que é difícil tomar uma decisão com antecipação, já que as coisas mudam muito rápido.

- Se acontecer a renovação, que não é simples, fácil, se acontecer de tomar essa decisão em conjunto, vamos ver... Futebol é uma vida a cada jogo, a cada jogo bom querem que você fique. Vamos ver. É tentar manter esse número de vitórias cada vez mais. Mas não tem segredo, porque não tem terceiros, é falar direto comigo - declarou o goleiro.

Com Rogério Ceni em boa fase debaixo das traves, o São Paulo está há nove jogos sem perder, tendo conquistado oito vitórias e um empate neste período. A ascensão incendiou o torcedor, que até criou uma campanha a favor da permanência do ídolo em 2014. Algo que, segundo Ceni, pesa a favor na decisão.

- Torcida é o principal componente do jogo. Qual é a graça do estadio vazio? é que nem pelada que você joga no fim de semana: mesmo que você faça o gol, ninguém vai ver (risos) - brincou Ceni.

O goleiro tem conversado com o presidente Juvenal Juvêncio e conta com o apoio do técnico Muricy Ramalho para permanecer jogando em 2014. Ele está com 40 anos e, nesta quarta-feira, é uma das armas do São Paulo para bater o Atlético Nacional (COL) e avanças às semifinais da Copa Sul-Americana.