icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
06/11/2014
00:43

Aliviado. Foi assim que o goleiro Rogério Ceni deixou o gramado nesta quarta-feira após a derrota por 3 a 2 para o Emelec (EQU), no Equador. O resultado garantiu o Tricolor na semifinal da Copa Sul-Americana, pela vitória por 4 a 2 no jogo de ida. O goleiro e capitão destacou a superação do time para se classificar mesmo com tanta dificuldade. Foram 16 horas de viagem, agravados pela atitude do clube local de proibir a equipe brasileira de fazer o treino de reconhecimento do gramado.

– Os gols no começo do primeiro e do segundo tempo acabam transmitindo insegurança, mas temos que destacar a luta de todo mundo, essa logística complicada, viagens, jogos quarta e domingo. Sei que o torcedor não fica feliz com o resultado, mas fica feliz com a entrega e a classificação à semifinal – afirmou Ceni, satisfeito com o placar.

Ceni contou um pouco da epopeia feita para chegar ao jogo, na cidade de Guayaquil e destacou a postura de seus companheiros.

– A gente tenta se recuperar no hotel, a aparelhagem que o pessoal da fisiologia traz. Essa viagem é muito complicada e já tem outra viagem sábado. Eu viajei numa poltrona que não era inclinada, na classe econômica. Você ficar viajando por 16 horas, treinar, jogar.... É uma dádiva de Deus poder viver um ambiente como esse no fim de de carreira – destacou o goleiro, que cedeu a faixa de capitão para Denilson, em meio ao rodízio que vem sendo estabelecido no time.

O São Paulo passará esta quinta-feira inteira viajando e chegará só na madrugada de sexta-feira ao Brasil. Os jogadores deverão se apresentar no sábado, quando já terão outra viagem. O time embarcará para Salvador, onde enfrenta o Vitória, no domingo, pelo Brasileiro.

Rafael Toloi, com lesão na coxa esquerda, Maicon, lesão no joelho direito, e Pato, aprimorando a parte física, serão desfalques. Muricy deve preservar aqueles jogadores que estiverem mais desgastados.