icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
09/04/2014
21:56

A partida desta quarta-feira contra o CSA foi a última do São Paulo com Juvenal Juvêncio na presidência do clube. Restando uma semana para as eleições e sem mais nenhum jogo oficial até lá, o Tricolor organizou homenagens para o mandatário antes do confronto de volta contra os alagoanos, pela primeira fase da Copa do Brasil. As festividades foram comandadas por Rogério Ceni, que vestiu camisa amarela no jogo.

- Sim, sem dúvida (camisa amarela em homenagem a Juvenal). Uma pessoa com quem convivi por 12 anos, tanto como diretor de futebol, quanto como presidente. Talvez o maior presidente da história, um cara que fez muito pelo São Paulo. Como era o último jogo como presidente, não foi só uma homenagem, como vou dar a camisa para ele - afirmou Ceni, que na semana passada lamentou apenas o lado centralizador do mandatário.

O goleiro já usou a cor durante a reta final do Campeonato Paulista de 2006, ano em que Juvenal iniciou sua gestão de três mandatos no time do Morumbi. O amarelo representa a situação do São Paulo, que tem em Carlos Miguel Aidar o provável novo presidente do clube. O advogado tem a maioria dos conselheiros e deve sair vitorioso do pleito da próxima quarta-feira, dia 16 de abril. O triunfo da chapa Avança São Paulo na eleição já é admitido até mesmo por membros da oposição.

Com mais uma semana no poder, Juvenal se despede do São Paulo após quatro mandatos (os três últimos consecutivos, de 2006 até este ano) e quatro títulos conquistados. Além do tri inédito do Campeonato Brasileiro (2006 a 2008), o presidente faturou a Copa Sul-Americana de 2012. Ao todo, foram 699 partidas na presidência, número superado apenas por Laudo Natel, que emplacou 788 jogos de 1960 a 1968.