icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
04/04/2014
11:08

A relação entre Unimed e Fluminense já não é a mesma de anos anteriores. A briga entre o Celso Barros e Peter Siemsen tornou-se pública nos últimos dias e o presidente da patrocinadora voltou a ressaltar que não fará nenhum investimento para esta temporada, lembrando que o custo do elenco atual é muito alto e revelou que torce para que o clube consiga trazer reforços mesmo sem o apoio da parceira.

- A direção tem de refletir muito bem e como andar com as próprias pernas. Estamos no limite e vamos abrir mão de uma política. Não dá pra investir, nem trazer reforço nenhum. Espero que o clube possa fazer isso e conquistar títulos – afirmou Barros, em entrevista à Rádio Tupi.

Sobre a possibilidade de acontecer o rompimento do contrato de parceria no final do ano, Celso Barros não escondeu que existe essa possibilidade e que o desgaste público da relação é muito ruim para os dois lados. O mandatário da Unimed-Rio também lembrou de alguns posicionamentos de Peter que não concordou, como a demissão do diretor executivo Rodrigo Caetano no início da temporada.

- Eu acho que sim, pode efetivamente afastar (do clube). Esse desgaste público não interessa ao Celso Barros, ao presidente Peter. Manter uma relação como essa é extremamente ruim. Quem perde é o torcedor do Fluminense. A demissão do Rodrigo Caetano foi outro fator desagradável. O presidente demitiu-o sem falar comigo, depois contratou o Ximenes.