icons.title signature.placeholder Felipe Mendes
18/04/2014
08:02

Embora tenha divulgado nota na quarta-feira informando que não reconhece a recém-criada Associação de Clubes de Vôlei (ACV), alegando que soube de sua criação pela imprensa, além de não conhecer o estatuto e objetivos da entidade, a Confederação Brasileira de Vôlei (CBV) sabia da existência da ACV desde 12 de abril.

O LANCE!Net teve acesso aos e-mails que foram trocados entre o presidente da ACV, o ex-deputado federal Ricardo Barros, e o mandatário da CBV, Walter Pitombo Larangeiras, o Toroca. Neles, fica claro que a entidade que rege o vôlei nacional já tinha sido informada sobre a criação do movimento.

No dia 12 de abril, Barros enviou e-mail para o superintendente da Superliga, Renato D‘Ávila, o superintendente geral Neuri Barbieri e presidência da CBV informando que a ACV fora criada dois dias antes. No texto, são apresentadas a diretoria e o Conselho Fiscal.

Somente na quarta-feira, Toroca respondeu. Às 16h18, ele enviou mensagem aos clubes dizendo que, mesmo sendo favorável à criação da associação, não a reconhece. Um texto similar foi distribuído para a imprensa minutos depois.

Às 19h07, Barros enviou nova mensagem para Toroca. Ele lembra uma reunião realizada no dia 27 de março, no Hotel Bourbon, em São Paulo, em que os clubes, à convite da CBV, discutiram sobre a necessidade de fortalecimento dos clubes. Neuri, D‘Ávila e Renan dal Zotto, membro do Conselho Gestor, foram os representantes da CBV.

Após esse encontro, os clubes fizeram uma reunião e deixaram alinhavada a ideia de criar a ACV. No dia 10 de abril, surgiu a entidade. Barros afirma que D‘Ávila foi avisado por telefone da decisão.

Ainda de acordo com o presidente da ACV, no dia seguinte tentou contato com Toroca, mas não obteve sucesso pois o dirigente estava em viagem. Mas que conseguiu contato com D‘Ávila e Barbieri.

Somente no dia 14 de abril Barros conseguiu falar com Toroca. E o presidente da CBV marcou, então, uma reunião para o dia 29 de abril.

Em nota enviada na quinta-feira ao L!Net, a CBV reafirmou que não reconhece a ACV e que só após conhecer seu estatuto e objetivos poderá ou não reconhecer a instituição.


Bate-Bola

Ricardo Barros
Presidente da ACV, em entrevista exclusiva ao LANCE!Net

Como você avalia a nota que foi distribuída pela CBV na quarta?
A CBV sabia oficialmente da criação da ACV. Falei com o Toroca. Acho que foi um excesso de zelo pelo momento de fragilidade que a entidade atravessa. Foi uma medida de cautela, num momento difícil e prefiro não fazer julgamento.

A CBV alega que não reconhece a ACV por não ter visto o estatuto e por não conhecer seus objetivos.
Falei por telefone com o Toroca, Neuri e Renato. Apresentei a ACV. E eles têm o estatuto. Não oficialmente, mas já têm o documento.

Há uma reunião marcada para o dia 29 de abril. Acha que haverá entendimento entre as partes?
Acho que teremos um ótimo entendimento. A ACV e a CBV querem a mesma coisa: o fortalecimento e desenvolvimento do vôlei.

Qual o principal objetivo da ACV?
Nós vamos defender os clubes e os atletas. Queremos resolver questões como pagamento de direitos de imagem e melhor distribuição dos patrocínios. As parcerias com o Banco do Brasil e com a TV Globo são ótimas, mas queremos ter direito a esses recursos também. Já conversei com a Globo e vamos marcar uma reunião com a emissora.

Nem todos os clubes aderiram à ACV até o momento.
Muitos clubes vão aderir até o dia 25 deste mês. Eu mesmo estou telefonando para cada um. Mas eles podem aderir depois. Não tem o menor problema quanto a isso.


A Associação:

Times sócios-fundadores
Moda/Maringá, Sada Cruzeiro, São Bernardo (feminino e masculino), Kappesberg Canoas, Funvic/Taubaté, RJ Vôlei, Montes Claros, Sesi-SP, Banana Boat/Praia Clube, UFJF, Rio do Sul/Equibrasil, Brasília Vôlei e Voltaço.

Dirigentes
O presidente da ACV é Ricardo Barros (Moda/Maringá), o 1 vice é Vittorio Medioli (Sada Cruzeiro), o 2 vice é Eduardo Carreiro (Sesi-SP/feminino) e o secretário é Rogério Loureiro (Voltaço). O Conselho Fiscal tem quatro integrantes. Seu presidente é Andrey Silva (Montes Claros).